Outeiro Secano em Lisboa

Abril 27 2015

 

 

11173353_10203584417364238_6836284688738982518_n[1

 

Ontem foram aniversariantes a Catarina Serra e o Manuel Torres, dois outeiro secanos com algo em comum. São vizinhos e ambos regressados às origens, depois de uma experiência de vida fora. A Catarina em Lisboa e o Manuel Torres no Brasil, mais propriamente na cidade de São Paulo.

O que os diferencia é a idade, a Catarina é ainda uma jovem, embora tivesse entrado na "ternura dos quarenta" o Manuel Torres fez 98 anos, faltando-lhe apenas dois anos para atingir o centenário. De salientar que já temos duas centenárias na aldeia, a tia Bia e a tia Amélia, precisamente avó da Catarina.

O Manuel Torres pese embora as suas memórias se repartam entre Portugal e o Brasil, continua a ser uma fonte de memória do passado da nossa terra, porquanto, e quando mais novo, teve bastante intervenção social na aldeia, tendo inclusive presidido à JAC - Juventude Agrária Católica.

Estão de parabéns também a sua filha Célia porque trata o pai com todo o esmero, assim como o seu filho Vasco que, pese embora o oceano que os separa, desde São Paulo, mantém a sua memória sempre presente naquela casa. Para todos um grande abraço, com o desejo de uma longa vida repleta de felicidade.

publicado por Nuno Santos às 07:52

Abril 26 2015

eleições.jpg

 

Após ter visto ontem algumas imagens da cerimónia das comemorações do 25 de abril, apetece-me citar o poema de José Barata Moura – Cravo vermelho ao peito a todos fica bem, Sobretudo faz jeito a certos filhos da mãe.

Quando se comemoram os quarenta e um anos da revolução, mas também, os quarenta anos das primeiras eleições livres em Portugal, avaliando pelas imagens de arquivo transmitidas nos telejornais, comprovando-se o estado de iliteracia política da maioria do povo, dá para questionar se essas eleições teriam sido livres, isto é, se as pessoas tinham consciência  desse seu acto político.

A mesma questão pode ainda ser formulada, para as eleições que se têm seguido de quatro em quatro anos, pese embora esse estado de iliteracia tenha diminuído, o certo é que ao longo destes quarenta anos de democracia, continuam a votar maioritariamente nos mesmos partidos, os chamados do “arco da governação”.

O absurdo é que durante as campanhas eleitorais, esses partidos fazem promessas que, sabem não poder cumprir. Depois de eleitos aliam-se ao poder económico, de tal forma que muitos dos seus governantes, alternam depois entre os cargos de ministros quando estão no governo, com altos cargos em empresas, quando terminam os seus mandatos, muitas vezes após terem feito contratos lesivos para o estado e  favoráveis a essas empresas, para onde já sabem que irão trabalhar.

Ora é toda essa promiscuidade que faz com que actualmente, haja um grande desinteresse pela política e pelas eleições, tanto mais porque actualmente a maioria das decisões políticas, já nem são tomadas internamente, veja-se o caso da Grécia, mas em Bruxelas.

 E como alguém dizia ontem, agora elegem-se feitores para implementar as medidas impostas do exterior, ora sendo assim, o mais curial seria votarmos para eleger não um governo que não nos governa, mas  antes para a escolha de um presidente para a Europa, porque esse é quem nos governa.

A propósito de presidente, sabe-se que o nosso presidente Cavaco Silva, vai em breve em mais uma viagem de negócios, desta feita à Noruega, para aumentar as trocas comerciais nas pescas e outros negócios do mar. Justamente a mesma pessoa que, quando foi primeiro-ministro, contribuiu para o desmantelamento da nossa frota pesqueira, enfim contradições da tal democracia em que vivemos.

publicado por Nuno Santos às 09:35

Abril 25 2015

25 de abril.jpg

 

O facto de ter feito há poucos dias sessenta anos, permite-me ter uma vivência do antes, durante e depois do 25 de abril, acrescido do facto de ter feito a minha vida repartida, entre Chaves e Lisboa. Desse modo, fui assistindo a todas às metamorfoses operadas após esse movimento social que foi o 25 de abril, quer na terra onde nasci em Outeiro Seco – Chaves, quer na minha terra de acolhimento em Lisboa.

Até ao 25 de abril o país era fechado ao mundo. Em Chaves embora fosse uma porta de saída, para muitos portugueses que, a salto procuravam melhorar as suas condições de vida no estrangeiro, as fronteiras abriam-se apenas no Lázaro e nos Santos.

Os empregos eram essencialmente na agricultura, a saúde resumia-se a um hospital precário, agora convertido num lar, o ensino a duas escolas secundárias. Não havia luz nem agua nem saneamento na maioria das casas, a mobilidade fazia-se com extrema dificuldade, tanto entre os principais centros como localmente por falta de estradas, e a nossa região produzia essencialmente soldados para a guerra em África e emigrantes para França.

O 25 de abril com o objectivo de implementar os três D, Democratizar, Descolonizar e Desenvolver trouxe ao país uma outra dinâmica, e durante alguns anos, foi possível sair do marasmo em que vivemos, durante várias décadas.

Deste modo, implementou-se a Democracia, dando a possibilidade de se escolher os governantes, Descolonizar, permitindo o aparecimento de novos países, mas sobretudo, conhecer algum Desenvolvimento, sendo visível um pouco por todo o país.

Porém, de há alguns anos para cá, temos sentido um retrocesso nessas conquistas. O moderno hospital que entretanto foi construído, está a ficar de novo um hospital periférico e sem valências, a emigração tem aumentado, só que desta vez em vez de saírem os analfabetos que apenas vendiam força de trabalho, saem os jovens formados que, podiam acrescentar valor ao país e o desenvolvimento tem decaído a passos largos, sendo necessário e urgente pensar num outro movimento social, chame-se 25 de abril, 1 de Maio ou outro dia qualquer, mas que retorne a este povo, a esperança nascida em 25 de abril.

publicado por Nuno Santos às 09:04

Abril 24 2015

futsal cup.jpg

 

Classico.jpg

 

Em simultâneo com as comemorações do 25 de abril, vão decorrer neste fim-de-semana em Lisboa, dois eventos de caracter desportivo, tornando-o ainda mais especial.

O primeiro é já hoje, à mesma hora em que em muitos pavilhões espalhados pelo país, se vai cantar abril, como no Pavilhão Paz e Amizade de Loures, onde só não vou estar porque à mesma hora estarei no Pavilhão Meo Arena, a assistir à Final Four de Futsal Europeu.

Este evento que opõe o Sporting, o Barcelona, o Dínamo de Moscovo e o AFC Kairat do Cazaquistão, apurara entre estas quatro equipas, o campeão europeu de futsal.

Esta é a terceira vez que o Sporting disputa uma fase final, sem conseguir almejar o desejado título. A primeira foi em Lleida (Espanha) a segunda em Baku no Cazaquistão, e esta terceira em Lisboa, no Meo Arena, onde vão estar dez mil vozes, não para cantar o Grândola Vila Morena, mas para cantar “e o Sporting é o nosso grande amor” de modo a ajudar o Sporting a levar de vencida o poderoso Barcelona.

Se tal acontecer jogará no domingo a final, perante a outra equipa que vencer o jogo, entre o Dínamo e o AFC Kairat. Caso contrário joga também no domingo, mas para o apuramento do terceiro e quarto lugar.

Também no domingo e à mesma hora desta final vai disputar-se o clássico, Benfica-Futebol Clube do Porto, o qual pode desde já definir o campeão português de futebol, caso o Benfica saia vencedor.

Por tudo isto, vai ser um fim-de-semana super emotivo, porém no sábado não deixarei de cumprir o ritual da descida da avenida da liberdade, e com um cravo na mão gritarei – 25 de abril sempre, fascismo nunca mais!

publicado por Nuno Santos às 13:54

Abril 22 2015

 

Lopetegui.jpg

 

Pois é! afinal os melhores ganham sempre mais vezes, e se o Futebol Clube do Porto tinha encantado a Europa e o Mundo, com a sua vitória sobre o Bayern de Munich, ontem sofreu uma copiosa derrota, a maior de sempre no seu historial, da Champions League.

Então a primeira parte foi um pesadelo, e se o treinador Guardiola tinha dito no jogo da primeira mão, de que o Jackson Martinez tinha jogado infiltrado, desta vez parecia que todos os seus jogadores estavam infiltrados, tal a supremacia evidenciada sobre os jogadores do Futebol Clube do Porto.

E nem interessa agora inventar desculpas, sobre ausências de jogadores, porque nesse capítulo o Bayern, estava ainda mais desfalcado, e se ganhou desta forma com os jogadores que habitualmente não são titulares, imaginamos o que seria com os titulares.

Agora resta esperar para ver, quais os efeitos psicológicos que esta derrota vai ter nos jogadores do Futebol Clube do Porto, porquanto, no próximo domingo têm outro jogo muito importante, quiçá o mais importante do ano, porquanto, é o jogo que decidirá o título de campeão nacional com o Benfica, no estádio da Luz, se o Porto ganhar relança o campeonato, mas se perde, o Benfica pode reservar o Marquês de Pombal.

 

publicado por Nuno Santos às 07:58

Abril 19 2015

palácio do Correio Mor.jpg

 

Pelos arredores de Lisboa pululam vários palácios que, outrora serviram de veraneio a famílias nobres do passado, uns maiores outros mais pequenos, uns em estado de degradação outros, ainda em bom estado de uso e até classificados como imóveis de interesse público.

Ontem tivemos o privilégio de visitar o Palácio do Correio-Mor em Loures, porque embora o conhecesse de nome, nunca o tinhamos visitado. Trata-se de um edifício com uma história extraordinária, tendo pertencido à família Gomes da Mata que, exerceu o cargo de Correio-Mor durante mais de duzentos anos,  desde que este serviço foi criado em 1520 por D. Manuel I, para assegurar a comunicação postal e outros bens, quer dentro do país mas também, com os novos domínios ultramarinos e com outros reinos amigos.

O cargo de Correio-Mor durou até ao reinado de D. Maria I, quando no ano de 1797 este serviço foi estatizado. Embora mudasse várias vezes de nome, o serviço público dos Correios, manteve-se estatizado até ao ano 2014, quando o governo de Passos Coelho o privatizou.

O palácio do Correio-Mor assim conhecido por analogia com o cargo do seu proprietário, situa-se em Loures numa quinta designada por Mata das Flores, com uma área de cerca de 150 hectares.

Esta quinta inicialmente propriedade das freiras do Convento de Odivelas, foi depois arrendada a Luís Homem, o primeiro correio-mor, que mais tarde a adquiriu, tendo-se preservado na sua família, durante mais de dois séculos.

O palácio começou a ser construído no reinado de D. João IV, mas ao longo dos tempos, sofreu várias alterações arquitectónicas. Em 1875 foi vendido a um grande proprietário de Loures, chamado Quirino Luís António Lousa, que o deixou a sua filha Filipa Maria Lousa Canha, mas foi o seu marido José Baptista Canha quem lhe introduziu grandes alterações decorativas.

O casal teve apenas uma filha Maria de Assunção Lousa Canha que ficou solteira e apenas passava os verões no palácio. Após a sua morte já na década de sessenta, o palácio e a quinta foram adquiridos por Miguel Quina, um proeminente capitalista no antigo regime, proprietário entre outros interesses, do Banco Borges & Irmão.

Miguel Quina introduziu-lhe também ele grandes alterações, sobretudo a nível da decoração interior. Em 24 de janeiro de 1967 por decreto-lei n.º 47508 este palácio foi classificado como Imóvel de Interesse Público.

Actualmente o Palácio e a quinta pertencem ao grupo imobiliário FIBEIRA, que ontem promoveu uma acção promocional, dos investimentos propostos para a quinta.

Graças a uns amigos tivemos convites para esta visita, onde além de conhecermos o Palácio, pudemos assistir e a um concerto privado do novo grupo de Carlos Maria Trindade, um Ex Heróis do Mar e Madredeus, ao qual junta, Sara Afonso na voz e Alexei Tolpygo no violino.

E porque gostamos muito de Loures, onde vivemos os nossos primeiros anos de casados, ficamos a torcer para que este investimento se realize e venha a ser um sucesso, porquanto, será uma mais-valia para o concelho e para a região.

publicado por Nuno Santos às 09:53

Abril 16 2015

Porto 2.jpg

 

Os adeptos do Porto viveram ontem um dia de glória, ainda que não esteja ganha a eliminatória, porque falta ainda disputar a segunda mão em Munique, o certo que a vitória de ontem, por um concludente 3-1 deu brado em toda a Europa, por causa da desproporcionalidade entre as duas equipas, nomeadamente em termos orçamentais.

O resultado de ontem vem de encontro à velha máxima, de que não há vencedores antecipados, pese embora em qualquer bolsa de apostas o gigante Bayern de Munich, fosse considerado o grande favorito.

O descalabro do Bayern só não foi maior, porque logo aos dois minutos o árbitro poupou-lhes a expulsão do guarda-redes Manuel Neuer, quando rasteirou Jackson Martinez, no lance do penalti. De outra forma, ficavam com menos um jogador e sem o Manuel Neuer para o próximo jogo, ele que é considerado o melhor guarda-redes do mundo.

Estão de parabéns os jogadores e os adeptos portistas, e rivalidades internas à parte,  o futebol nacional também ganhou, pois com a derrota dos clubes franceses em prova, o Mónaco na Juventus e do PSG Saint Germain com o Barcelona, Portugal marcou mais uns pontos no ranquing da UEFA, sobre a França.

Claro que o jogo da segunda mão será muito difícil, especialmente porque o Bayern marcou um golo no Dragão e um resultado de 2-0, dá-lhes a vitória na eliminatória. Mas ficamos a torcer para que o Porto se reinvente, e consiga passar esta eliminatória, pois seria uma vitória do David sobre Golias.

publicado por Nuno Santos às 18:53

Abril 15 2015

Bolo 1.JPG

 

CAM00750[1].jpg

 

CAM00747[1].jpg

 

CAM00748[1].jpg

 

Quando hoje no relógio da torre da nossa igreja, soaram as duas horas da tarde, perfez sessenta anos que eu nasci, pese embora por razões que desconheço, só me tenham registado em 15 de setembro.

Ora, depois de ter sido parabenizado pela minha mãe, os meus colegas de trabalho quiseram associar-se a esta efeméride, organizando um almoço surpresa, o qual me deixou extremamente sensibilizado.

Bem sei que este é um novo ciclo da minha vida, desde logo porque entro para o clube dos sexagenários, pese embora me sinta ainda com muita força e dinâmica para continuar a fazer coisas boas, embora diferentes, até porque em breve irei ter mais tempo disponível, para ser nomeadamente mais solidário e adquirir outros conhecimentos, ainda que não da área profissional, mas mais lúdicos, de modo a preparar melhor a minha velhice.

Por isso agradeço aos meus pais os causadores de eu cá estar, a todos os meus colegas que colaboraram nesta festa surpresa, à Celeste minha mulher porque foi cúmplice nesta iniciativa e a todos quantos me têm felicitado neste dia.

A todos um bem haja, esperando que no futuro possa continuar a contar com a sua estima e amizade.

publicado por Nuno Santos às 15:45

Abril 14 2015

Sebastiao-salgado-genesis01.jpg

Os amantes da fotografia têm desde a passada quinta-feira e até ao próximo dia 2 de agosto, a oportunidade de visitar a exposição do famoso fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado, um dos mais premiados fotógrafos da actualidade.

Inaugurada em 2013 em Londres, esta exposição anda em itinerância pelo mundo, estando agora patente em Lisboa, na Cordoaria Nacional.

A exposição com o nome de Génesis é a preto e branco, a imagem de marca do artista e reporta-nos à criação do mundo. Sebastião Salgado mostra-nos fauna, flora e minerais de várias zonas do globo, calcula-se que cerca de 40% do globo ainda não sofreu qualquer transformação do homem, porque se  situarem em zonas demasiado frias, ou demasiado quentes e secas.

Já tive oportunidade de visitar a exposição no passado sábado, e garanto-vos que valeu a pena, o tempo de espera para entrar, porque quando uma exposição obriga a filas para a sua entrada, é quase sempre uma garantia de qualidade.

Em simultâneo com a exposição foi estreado no cinema, um Documentário sobre Sebastião Salgado, com o nome de “O Sal da Terra”, realizado pelo seu filho Juliano Salgado e Wim Wenders.

Este documentário pode ser adquirido em forma de DVD, no local da exposição. Tanto a entrada como o DVD custam a módica quantia de 5,00 € cada.

 

publicado por Nuno Santos às 12:52

Abril 12 2015

IMG_2723.JPG

 

IMG_2727.JPG

 

IMG_2734.JPG

 

Realizou-se hoje a Corrida Sempre Mulher, uma organização da Associação Portuguesa de Apoio à Mulher com Cancro da Mama IPSS. No próximo dia 24 de Maio será a Corrida da Mulher, pese embora o objetivo seja o mesmo, a angariação de fundos para o combate do cancro da mama, são duas provas distintas e com organizações diferentes.

As duas corridas diferem em dois elementos, o primeiro é no percurso, enquanto a Corrida Sempre Mulher parte da Praça dos Restauradores vai ao Saldanha e regressa aos Restauradores, um local com excelentes acessibilidades, desde logo o metropolitano e o comboio, a Corrida da Mulher realiza-se entre Santos e a Torre de Belém, com piores acessibilidades.

Além disso a Corrida da Mulher é aberta a homens, porquanto, esta doença atinge homens e mulheres, ainda que sejam as mulheres, as principais vítimas desta doença, porém a Corrida da Mulher só é aberta a mulheres.

Solidários com estas causas, lá estivemos subindo a Avenida, aproveitando para fazer o treino matinal e ao mesmo tempo, contribuir para esta nobre causa.

Quanto à corrida de Maio ainda que as inscrições já tenham aberto no dia 7 de abril, aguarda-se que outras amigas se queiram também associar à causa e ao evento.

publicado por Nuno Santos às 14:57

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Abril 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
17
18

20
21
23

28
29
30


links
pesquisar
 
Visitantes
subscrever feeds
blogs SAPO