Outeiro Secano em Lisboa

Abril 20 2017

igreja sra da azinheira.jpg

Já lá vão quase dez anos que o governo então presidido por José Sócrates, lançou o maior complexo de barragens para a produção elétrica no país, a maioria delas no rio Tâmega e seus afluentes. Quatro dessas barragens foram adjudicadas pela Iberdrola, que, entre outras contrapartidas financeiras para o governo e para a região, prometeu requalificar o património românico a norte do rio Douro.

Ora é sabido que, a igreja da Nossa Senhora da Azinheira de Outeiro Seco, é um edifício classificado como românico, tendo afortunadamente sido incluída, na lista dos edifícios a requalificar. A primeira fase dessa requalificação parece estar concluída, porquanto as telas que, estavam junto ao altar-mor e bastante degradadas, tinham sido enviadas para Lisboa, presumo que para o Instituto José de Figueiredo, onde se faz uma boa parte da recuperação deste tipo de arte, e segundo informação do nosso pároco José Banha, vão regressar à igreja, já na próxima sexta-feira dia 21.

Entretanto o senhor pároco anunciou na missa do domingo de Páscoa, que, na passada segunda-feira, a igreja iria ser visitada por uma equipa de técnicos da DRCN - Direção Regional da Cultura do Norte, estes nomes e siglas mudam consoante mudam os governos, para in loco se inteirarem de outras necessidades de requalificação na igreja, nomeadamente a nível da sua cobertura.

Com efeito numa das minhas passagens na estrada em frente à igreja eu constatei nesse dia que, várias pessoas acompanhados pelo Eng. França, da Câmara Municipal e morador na nossa freguesia, visitavam a igreja, conforme o senhor pároco tinha anunciado. Mas não sei se nesta futura requalificação, estarão incluídos os frescos das paredes laterais, isso seria a cereja no topo do bolo.

Esta será uma das muitas requalificações efetuadas nesta igreja, após a sua construção no século XII. Uma das mais importantes terá ocorrido no ano de 1531, quando se pintaram os frescos nas paredes. Depois ocorreu uma outra no ano de 1768, para se recuperarem os estragos causados pelo terramoto de 1755. Uma outra requalificação importante ocorreu no ano de 1937, da qual resultou a classificação como edifício classificado de interesse público, passando desde aí a gestão da igreja, para esfera do Estado.

Para quem segue na RTP1 a série “Vidago Palace” ficou a saber que, em 1936 quem presidiu à inauguração do seu campo de golfe, foi o presidente da república Óscar Carmona. Ora, precisamente nessa altura o presidente Carmona esteve em Outeiro Seco, acompanhando a sua esposa Maria do Carmo Fragoso Carmona, uma flaviense e amiga de infância da Donana, espessa do Dr. José Maria Ferreira Montalvão, donos do solar dos Montalvões.

A igreja estava em grande estado de degradação, vítima de um incêndio causado por um foguete da festa. Na altura uma comissão de cidadãos da aldeia encabeçada por Miguel Sanches, solicitou os serviços à Madame Carmona para interceder junto do Estado, para a recuperação da igreja.

O pedido foi aceite e a igreja foi requalificada, ainda que com grande celeuma porquanto, foi realizada uma intervenção de fundo com a alteração da sua fachada, a qual não agradou a todos, o que é uma situação normal.

O que não é muito normal é o cumprimento das contrapartidas financeiras no caso das adjudicações, como foi no caso da compra dos submarinos e outras. Porém no caso das barragens da Iberdrola, ao que parece estão a ser cumpridas e ainda bem.

 

           

publicado por Nuno Santos às 08:42

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Abril 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
13
14
15

16
17
18
22

24
26
27
28

30


links
pesquisar
 
Visitantes
subscrever feeds
blogs SAPO