Outeiro Secano em Lisboa

Abril 21 2017

 

O meu filho é um melómano, sobretudo de música alternativa. Enquanto estudante exerceu funções diretivas na rádio e era solicitado frequentemente por colegas que, tinham bandas de garagem, a fim de os ouvir e emitir a sua opinião crítica, sobre algo que tinham criado.

Agora mesmo vivendo no estrangeiro, mantém-se atualizado sobre tudo o que se vai fazendo por cá, em matéria de música. E foi ele quem me chamou a atenção para um projeto que, ao ouvi-lo, me deixou deveras emocionado, porquanto esse género musical “O Cante Alentejano” tem esse condão de me emocionar, mas neste caso mais ainda, por ser cantado no estrangeiro e por estrangeiros.

Claro que tudo isto se deve ao facto do Cante Alentejano, ter sido reconhecido como Património Imaterial da Humanidade, chamando a sua atenção para outros lugares, que não só as vilas e as cidades alentejanas, ou nas imediações de Lisboa, onde vive uma vasta comunidade alentejana.

Por isso é gratificante ver e ouvir homens e mulheres de outras nacionalidades, a cantarem o Cante Alentejano e tão bem, acrescentando essa especificidade de misturar homens e mulheres, coisa que o Rancho de Cantadores da Aldeia Nova de São Bento já tinha feito no seu último disco, ao introduzirem a Luísa Sobral num dos temas.

Este grupo constituído em Paris chamou a atenção do Tiago Pereira autor do projeto “A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria” que se deslocou a Paris onde gravou um documentário sobre este grupo, assim como em Portugal onde cantaram com os Cantadores de Pias e da Aldeia Nova de São Bento.

Para disfrutarem dessa preciosidade, aqui ficam alguns links do Grupo de Cantadores de Paris.

 

publicado por Nuno Santos às 09:46

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Abril 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
13
14
15

16
17
18
22

24
26
27
28

30


links
pesquisar
 
Visitantes
subscrever feeds
blogs SAPO