Outeiro Secano em Lisboa

Abril 23 2017

derbi.jpg

Ontem vivi no estádio José de Alvalade as emoções de mais um dérbi. Desde que estou em Lisboa e já lá vão quarenta e quatro anos, sempre que o dérbi se disputou em Alvalade, só não terei assistido, quando estou fora de Lisboa.

Como todos os jogos entre estes dois rivais, este foi um jogo intenso, onde não faltou nada, emoção e casos de arbitragem. Felizmente que durante e após o jogo não houve incidentes graves, tanto dentro como fora do campo, ainda que infelizmente já tivessem ocorrido durante a madrugada incidentes, resultando na morte de um adepto sportinguista, em condições que a polícia estará a investigar.

No entanto, estavam reunidas as condições para que algo de grave pudesse acontecer, muito por causa da posição das estruturas dirigentes dos dois clubes, os quais estão de relações cortadas. E nem me interessa discutir quem tem ou não razão, a verdade é que esta situação cria crispações e excessos em alguns adeptos, porque têm uma visão enviesada, daquilo que, deve ser o desporto, sobretudo a nível das suas claques organizadas.

A propósito, há dias o Iker Casillas atual guarda-redes do Futebol Clube do Porto, disse numa entrevista que, achava que estávamos a perder o futebol e de facto, o futebol deixou de ser um mero jogo de paixões, para ser algo mais, muito por causa da mediatização que, se dá a este fenómeno.

Para os jogos entre os três grandes são criados cenários que, mais parecem de guerra, fazendo-nos lembrar como dizia ontem na SIC Notícias o Marinho, um ex-jogador do Sporting e Benfica, aqueles cenários pós ataques terroristas, tal o aparato policial que rodeia estes jogos.

Tenho para mim que, a comunicação social ajuda muito a potenciar esse fenómeno, com a ênfase que dá, antes, durante e após os jogos. São os programas de debates televisivos e radiofónicos, alguns com jornalistas outros com adeptos dos próprios clubes, que só servem para ajudar a extremar ainda mais essas paixões.

Quanto ao jogo, o Sporting entrou bem, beneficiando logo de início de um erro individual do guarda-redes benfiquista, cometendo um penalti sobre Bas Dost, do qual resultou no golo sportinguista. O lance não teve qualquer sansão disciplinar, desconheço se houve alteração nas regras, mas ainda no ano passado, um penalti cometido por Rui Patrício no jogo contra o Tondela, resultou em expulsão.

Penaltis também terão ficado por marcar a favor do Benfica, ainda que esses lances sejam mais fáceis de analisar pela televisão, pois em campo, passaram despercebidos ao árbitro, assim como aos próprios jogadores do Benfica que, não os reivindicaram.   

O resultado acabou num empate a uma bola, ficando o Benfica mais próximo de conquistar um feito nunca antes alcançado, ao contrário dos seus rivais Porto e Sporting, que é a conquista do Tetra.

Ao Sporting resta-lhe agora continuar a ganhar todos os jogos que lhe falta disputar, e preparar melhor a próxima época desportiva. Porque apesar alguns erros de arbitragem, nos quais foi penalizado, o Sporting tem sobretudo de penitenciar-se dos pontos perdidos com equipas como inferiores como; Nacional, Tondela, Rio Ave, Chaves, Marítimo e Vitória de Guimarães, não fora estes pontos perdidos e face à atual tabela classificativa, o Sporting seria campeão.

publicado por Nuno Santos às 09:25

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Abril 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
13
14
15

16
17
18
22

24
26
27
28

30


links
pesquisar
 
Visitantes
subscrever feeds
blogs SAPO