Outeiro Secano em Lisboa

Outubro 31 2013

 

Pelo segundo ano consecutivo não fui aos Santos. O corte do feriado no dia 1 de Novembro, acrescido de obrigações profissionais inadiáveis, retiveram-me em Lisboa, com grande pena minha .

Os quarenta anos que já levo de descontos para a Segurança Social ainda não são suficientes para atingir a reforma, logo mais para se obter a reforma terá de ser como o ingresso na tropa, antes deste serviço ser voluntário, teremos de passar por uma inspecção que nos dirão, se ainda estamos aptos ou inaptos para continuar a trabalhar.

Apesar da pouca inovação introduzida neste certame, o certo é que os Santos são o evento que mais população trás à cidade, vinda de toda a província, assim como da vizinha Galiza.

Diz-se que a tradição tem muita força e neste caso da feira dos Santos, vem já da idade média, havendo registos que remontam à sua existência  no longínquo ano de 1300.

Assim não comi o “pulpo” no Manolo nem observei as juntas de bois, que agora são como as modelos profissionais, correm todas as feiras da região, à procura do prémio.

Acho que está mais do que na hora da nossa autarquia requalificar a Feira dos Santos, porque apesar de ser há muitos anos, uma referência regional, pode e deve tornar-se numa referência nacional, do tipo da Ovibeja, S. Mateus ou Santarém, porque os milhares de visitantes que todos os anos aí se deslocam merecem bem mais do que o programa que se lhes oferece.

publicado por Nuno Santos às 20:59

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Outubro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
16
18
19

20
22
24
26

28
29
30


links
pesquisar
 
Visitantes
blogs SAPO