Outeiro Secano em Lisboa

Março 08 2017

dia da mulher.jpg

Existe atualmente uma grande dicotomia quanto a esta data, declarada pela ONU, como o Dia Internacional da Mulher, sobretudo, porque nos últimos tempos, esta adquiriu um caracter festivo e comercial, mais do que um dia de luta pelos direitos das mulheres.

Razão porque há quem defenda, sobretudo nas sociedades ocidentais, que a data não faz qualquer sentido, porquanto, a mulher, já adquiriu os mesmos direitos dos homens, havendo inclusive vários países, que são governados por mulheres, resultante de uma escolha livre e democrática.

Outros defendem que, para se reivindicarem direitos, não se deve restringir apenas ao simbolismo de um dia, mas a todos os dias do ano.  

Sem recorrer ao tempo em que, a própria religião cristã defendia que, a mulher não tinha alma, eu próprio me lembro  de quando as mulheres no nosso país tinham os seus direitos coartados. Como o direito de voto assim como o do casamento em algumas profissões exercidas por mulheres, como enfermeiras, telefonistas e outras.

Também me recordo da enorme carga que recaía sobre as mulheres da minha aldeia, que além de parceiras dos homens nas tarefas do campo, cabia-lhes ainda todas as tarefas domésticas e muitas a própria gestão económica da família.

Infelizmente ainda existem civilizações, onde as mulheres não têm os direitos igualados aos dos homens, só que a celebração do Dia da Mulher, não é comemorada nesses países.

 

Hoje as mulheres da minha terra podem celebrar livremente o Dia Internacional da Mulher. Em Chaves até há um restaurante que, lhes proporciona um jantar com excelente menu e no final, a exibição de um stripper.

Será isto a comemoração do dia Internacional da Mulher?

     

publicado por Nuno Santos às 08:56

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

13
14
16
17
18

19
21
23
24
25

26
29
30
31


links
pesquisar
 
Visitantes
blogs SAPO