Outeiro Secano em Lisboa

Janeiro 07 2015

corrupção.jpg

                                                     (Foto do jornal  Público quando do processo Face Oculta)  

 

 

Esta semana foi anunciado pela Porto Editora, de que a palavra do ano de 2014, fora a Corrupção. Esta escolha não nos dá qualquer orgulho, antes pelo contrário, porquanto, o significado desta palavra quer dizer que, se beneficia alguém numa negociata, em prejuízo de outrem.

O fenómeno da corrupção sempre existiu, em especial nos países mais subdesenvolvidos. Na Europa e durante muitos anos, a corrupção esteve muito associada à Itália, por causa das redes mafiosas que minavam sobretudo o poder autárquico do sul do país, e todos nos recordamos de séries televisivas como o Polvo, onde este fenómeno era retratado.

Infelizmente este fenómeno tem-se alastrado a outros países do sul da Europa, nomeadamente a França, a Espanha e Portugal, onde recorrentemente aparecem nos meios de comunicação casos de corrupção, envolvendo personalidades ligadas à alta finança, economia e à política.

Só que enquanto os governos nesses países, têm procurado combater esse flagelo, em Portugal assobia-se para o lado e as medidas apresentadas contra a corrupção, ou contra o enriquecimento ilícito, nem sequer têm cabimento na assembleia da república, vide as propostas apresentadas pelo ex-deputado João Cravinho, as quais, nem o próprio partido o PS as aceitou.

Enquanto continuar este estado de coisas, tem de ser o tribunal a fazer a prova de que houve crime, o que não é fácil, pois os meios de investigação de que dispõe também são precários. Deste modo vamos assistindo aos sucessivos arquivamentos de processos por falta de provas, como aconteceu recentemente com o caso dos submarinos, pese embora neste caso os corruptores na Alemanha tivessem sido condenados, em Portugal os corrompidos ficaram impunes.

 

 

publicado por Nuno Santos às 07:56

concordo contigo a corrupção sempre existiu e o nosso país nunca foi um exemplo nem o será
mas perdeu uma grade oportunidade quando do 25 de abril
eu dançava num grupo folclórico de um programa chamado caravela da saudade na extinta tv tupí hoje sbt como o dono do programa era de cantanhede o rancho tinha o mesmo nome do português esticadinhos de cantanhede
havia uma grande camaradagem entre todos mas eu e o carlos alberto era de vilarinho do bairro anadia eramos muito amigos eu disse eramos porque à 26 anos completados em outubro ele nos deixou muito jovem
nesse canal de tv todos os cantores e não só passavam por lá eu lembro do rodrigo de barba e cabelos negros do prof. josé hermano saraiva etc.
quando do 25 de abril por lá passaram alguns dos capitães como por exemplo o vasco lourenço com quem estive alguns minutos e mais alguns e o carlos chegava para mim e falava
conterraneo logo logo lá vai estar como cá
será que eles não podiam ir para a suécia
meu amigo meu irmão como lembro dessas tuas palavras
mas olha não sei se onde estás tens notícias mas se não tens eu vou falar-te aqui à uns tempos o nve dedos daqui estava mandando o tal de sócrates politicar pois é mas como outro já politicaram um monte de milhões tu estavas certo
vasco sobreira garcia a 10 de Janeiro de 2015 às 21:18

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Janeiro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
14
15

18
20
21
22
23
24

26
27
28
29
31


links
pesquisar
 
Visitantes
blogs SAPO