Outeiro Secano em Lisboa

Maio 15 2014
 

 

Hoje é incontornável não falarmos da final europeia de ontem, quando metade do país em especial a nação benfiquista, está com uma tremenda decepção, porque afinal a velha maldição de Bella Guthmann, de que o Benfica jamais ganhará uma final europeia, persiste.

E deve haver mesmo uma maldição qualquer, porque em nenhuma outra das finais perdidas, o Benfica esteve tão perto da vitória como na final de ontem, quer em oportunidades de golo como nas próprias incidências do jogo, com mais posse de bola, mais remates, mais lances duvidosos na área do Sevilha.

Porém no futebol existe esse sortilégio, de que só ganha quem marca, e o que fica para a história é que nos penaltis, o Sevilha marcou 4 e o Benfica 2.

Após o jogo assistimos a um desfiar de frustrações dos adeptos benfiquistas, uma situação que eu tambem conheço, disparando essa frustração em todas a direcções, com particular incidência sobre Michel Platini presidente da UEFA, nem sei bem porquê, pois não é o Platini quem nomeia os árbitros, nem preside ao Comité de disciplina, para despenalizar o Markovick.

O mais paradoxal desta vitória é termos visto a bandeira portuguesa a festejar a vitória, só que em vez de ser exibida pelos jogadores do Benfica, era exibida por alguns dos jogadores do Sevilha, que teve quatro jogadores portugueses em campo, o heroi do jogo o guarda redes Beto, Daniel Carriço, Diogo Varandas e o Kevin Gameiro que ainda que tenha nascido em França, é filho de emigrantes portugueses.

Valha a verdade que ontem o Benfica, devido a algumas ausências forçadas, também chegou a ter quatro jogadores portugueses em campo, e alguns até deram mostras de quão injusta é a escolha de Paulo Bento.

Uma coisa que os benfiquistas não devem estranhar, é a de que a sua frustação seja extensível a todos os portugueses, primeiro porque tem de se respeitar o direito à diferença, e as rivalidades clubísticas existem em Portugal como em  todo o mundo, segundo porque no ano em que Sporting perdeu a final em Lisboa com o CSKA, o Marquês de Pombal encheu-se com cachecóis do CSKA e gritos de Benfica, Benfica.

É a vida como alguém disse, ou em futebol todos os resultados são possíveis, e no próximo domingo o Benfica tem mais uma final para se redimir da derrota de ontem, a finalda taça de Portugal no Jamor contra o Rio Ave.

 

publicado por Nuno Santos às 07:59

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Maio 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9


20

28
29


links
pesquisar
 
Visitantes
blogs SAPO