Outeiro Secano em Lisboa

Janeiro 18 2017

Taça.png

Não é só anatomicamente que o coração se divide em dois ou seja em dois ventrículos, o ventrículo direito e ventrículo esquerdo. Também emocionalmente o coração pode estar dividido, tal como o canta Marco Paulo “ Eu tenho dois amores”. Aliás, o Prof. Júlio Machado Vaz e Inês Maria Menezes, no programa “O Amor é” emitido diariamente nas manhãs da Antena 1, já por várias vezes desenvolveram o tema das duas paixões.

Bem isto a propósito do meu estado de alma, por causa dos recentes resultados do Chaves-Sporting, as minhas duas paixões desportivas. Eu escrevi antes do jogo, de que gostaria que o Sporting vencesse o jogo para o campeonato, e o Chaves ganhasse o jogo da Taça, a fim de poder regressar ao Jamor, repetindo assim a presença do ano de 2010, dando uma nova alegria a todos os transmontanos, tanto aos residentes na região, como aos que estão espalhados pela diáspora.

 Afinal o meu desejo só se concretizou em parte. Para o campeonato houve um empate, mas com sabor a derrota para os sportinguistas. Na Taça o meu desejo cumpriu-se, tendo o Desportivo ganho e bem, pese embora o golo da vitória só aparecesse ao minuto 87, por isso mesmo dramático para os sportinguistas,  mas saboroso para os flavienses.

Bem sei que falta ainda a meia-final, hoje saber-se-á com quem, se com o Sporting da Covilhã ou com o Vitória de Guimarães. Mas o facto de ser uma eliminatória a duas mãos, logo, haverá mais vantagens de vencer a eliminatória.

Embora flaviense  nunca escondi a minha simpatia pelo Sporting, e tenho a certeza que os  da minha geração, não haverá ninguém que seja exclusivamente, adepto do Chaves. Isso porque no nosso  tempo de meninos e moços, o Desportivo de Chaves disputava apenas os campeonatos regionais, e no máximo, a terceira divisão, com clubes como o Bragança, Fafe, Vianense, ou São Pedro da Cova.  

Ao contrário de outros países, onde as pessoas assumem exclusivamente a sua paixão, pelo clube da sua terra ou da sua região, em Portugal os adeptos assumem a sua simpatia pelos clubes que ganham, ainda que haja raras exceções, como é o caso de Guimarães. Donde, a maioria esmagadora dos flavienses que, ontem glorificaram e bem o Desportivo, tenho a certeza de que teriam sido bem mais contidos, caso o adversário do Chaves tivesse sido outro.

Ora atendendo ao bom momento que, o Chaves está a passar, e seguindo o exemplo do Sporting de Braga, o Desportivo deveria intensificar a visita dos seus jogadores às escolas, fazendo junto dos jovens essa adesão ao Desportivo, evitando deste modo que se tornem adeptos de outros clubes, adotando como clube do coração, o clube da sua terra.

Eu como já não estou em idade de mudar, continuarei fiel a ambos, fazendo seletivamente as minhas opções, embora quanto à Taça de Portugal serei um dos maiores torcedores.

publicado por Nuno Santos às 15:27

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Janeiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
12
14

16
19
20
21

22
23
24
25
27
28

30
31


links
pesquisar
 
Visitantes
blogs SAPO