Outeiro Secano em Lisboa

Fevereiro 28 2015

democracia.jpg

 

No Wikipédia podemos ler que Democracia é um regime político em que todos os cidadãos elegíveis participam igualmente — diretamente ou através de representantes eleitos na proposta, no desenvolvimento e na criação de leis, exercendo o poder da governação através do sufrágio universal. Ela abrange as condições sociais, económicas e culturais que permitem o exercício livre e igual da autodeterminação política.

Este conceito foi criado na Grécia Antiga, mas embora se diga que, a democracia é o melhor dos regimes para se viver, a sua prática já não se aplica, sendo paradoxalmente a Grécia, o país criador da Democracia, é a melhor prova disso.

Actualmente as principais medidas políticas e económicas são criadas por um Directório, que ninguém elege, chamam-lhe G7, G14, Fórum de Davos e outros fóruns, como os Mercados, quem decide as linhas principais que nos regem.

E como assistimos recentemente, os dirigentes gregos recém eleitos, não puderam implementar as suas propostas sufragadas pelo seu povo, nem experienciar as suas ideias, as quais, seriam depois julgadas e avaliadas os seus resultados. Ao invés, tiveram de se vergar às medidas impostas pelo Euro grupo, seguindo as políticas dos seus antecessores políticos, o PASOK e a NOVA DEMOCRACIA, partidos que o povo rejeitou liminarmente nas eleições.

De uma coisa os gregos têm a certeza, essas medidas aplicadas nos últimos trinta anos, foram um desastre, mas não as podem agora mudar para melhorar a qualidade de vida dos seus cidadãos.

O que vale para a Grécia, vale para Portugal, e se o estado da Grécia resulta da governação do PASOK e da NOVA DEMOCACIA, em Portugal tem sido as políticas do PS e o PSD, que cavaram a austeridade em que vivemos, porque têm sido estes dois partidos que, em alternância, têm governado o país, nos últimos quarenta anos, seguindo os ditames do tal Directório.

Este ano vamos ter eleições, mas a avaliar pelos resultados das sondagens, parece que vamos ter mais do mesmo, Será que o povo aguenta esta política!

Alguém já disse que “ai aguenta, aguenta” porém ele é que não aguentou o banco, pois ao que tudo indica, vai ser totalmente espanhol e provavelmente até irá perder o nome. Quanto ao nome do nosso país, ainda não está em causa, mas o poder e as diretrizes políticas, essas há muito que nos são impostas de fora.



 

 

publicado por Nuno Santos às 09:00

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Fevereiro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
13
14

15
16
17
18
20
21

23
25
26


links
pesquisar
 
Visitantes
blogs SAPO