Outeiro Secano em Lisboa

Abril 18 2016

20160417_110257.jpg

 

A minha mãe costuma dizer que “quem vê um povo, vê um mundo todo” embora esta máxima possa ser um pouco forçada, a verdade é que pelo mundo fora veem-se coisas que, nós também temos, senão iguais, com alguma similitude.

Em Amsterdam por exemplo, converteram uma antiga central de recolha de Trams, aquilo que nós designamos por elétricos, tipo Santo Amaro ou Arco do Cego, numa área parecida com o nosso Mercado da Ribeira em Lisboa, ou o Mercado Bom Sucesso no Porto, pese embora o De Hallen seja maior e com muitas outras valências.

Além da variada oferta de restauração, que vai da cozinha italiana à vietnamita, passando pelo nosso presunto ibérico, neste espaço existem ainda muitas lojas e estúdios, sendo atualmente um grande polo de atração turística, onde se pode comer de forma variada e a preços acessíveis.

Aliás, em matéria de preços das refeições, Amsterdam não difere das restantes capitais europeias, inclusive Lisboa, há preços para todos os gostos e bolsas. Por exemplo, um café expresso numa esplanada da Praça Damm, custa 4,50 €. Mas a menos de duzentos metros, numa rua ao lado, já se pode tomar um café expresso por 2,00 €.  

Apesar da vicissitude dos preços, Amsterdam continua a ser um centro turístico por excelência, em qualquer altura do ano, sendo constantes os grupos organizados ou isolados que se veem circular pela cidade, munidos das suas máquinas fotográficas e de mapas para sua orientação. Quem viaje aos fins-de-semana, vê cada vez mais grupos de jovens, tanto de rapazes como raparigas, procurando Amsterdam para fazerem as despedidas de solteiros.

Uma coisa agradável para os portugueses, tanto residentes como turistas, é que vai havendo cada vez mais lugares de referência do nosso país. Depois dos restaurantes Girassol e Portugália, ambos com ementas portuguesas, para os mais saudosistas, existe na Harlemmerstraat uma loja designada Casa Bocage, a qual vende variadíssimos produtos portugueses, desde o azeite ao vinho português sem esquecer os pastéis de nata e o café Delta. Na Kinkerstraat 28 abriu há pouco tempo a Casa Portugal Brasil, onde também vende muitos artigos portugueses.

Os que já estão instalados em Amsterdam e queiram decorar as suas casas com produtos portugueses, nomeadamente loiças, já não tem necessidade de recorrer aos custos e riscos dos transportes, pois no Jordaan um dos bairros mais caraterísticos da cidade, na Westerstraat têm a Mar Decor, onde podem encontrar todos os produtos da Vista Alegre, Atlantis e Bordalo Pinheiro.

Chama-se a isto a globalização ou se quiserem “Portugueses no Mundo”.

publicado por Nuno Santos às 08:57

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Abril 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
16

17
20
21
22
23

24
25
26
28
29


links
pesquisar
 
Visitantes
blogs SAPO