Outeiro Secano em Lisboa

Abril 01 2014

Apesar de hoje ser o dia 1 de abril, conhecido como o dia das mentiras, esta notícia é verdadeira, pois acabei de assinar uma petição, que um amigo me enviou, contra o encerramento do Polo da UTAD em Chaves.

Este projecto vem demonstrar que existem várias formas de centralismo, e não é só o do Terreiro do Paço, pese embora a maioria dos ministérios se encontrem descentralizados por toda a cidade de Lisboa.

Eu próprio aqui na avenida 5 de outubro, tenho do outro lado da rua o ministério da Educação, o qual muito transtorno me provoca, porque na maioria dos dias, os lugares de estacionamento  estão ocupados com vaias da polícia, por causa das manifestações, sendo rara a semana em que não existem manifestações, à porta do ministério. Por isso se os flavienses quiserem cá vir manifestar-se contra o encerramento do polo da UTAD, terão todo o meu apoio, não só afectivo como logístico.

O polo da UTAD em Chaves é uma mentira repetida há dezenas de anos pela sua reitoria e em minha opinião, a principal responsável pela degradação do solar dos Montalvões em Outeiro Seco. Tudo começou quando foi celebrado um protocolo com a CMC, onde a UTAD se comprometia num período de sete anos, a construir no solar e terrenos adjacentes as futuras instalações do Polo, para onde seriam transferidos alguns cursos já existentes assim como a criação de outros. 

Enquanto não se construíam essas instalações, o polo funcionou precariamente em Chaves, em instalações provisórias e inadequadas, pese embora pagas principescamente, sabe-se lá a quem aproveitou esta situação.

Quando digo instalações inadequadas sei do que falo, porque a minha segunda habitação é precisamente nessa avenida, no prédio em frente, e apesar de ser um quinto andar, para ter algum sossego, tive de instalar novas janelas com isolamento de som, por isso imagino os índices de concentração dos alunos, naquelas salas sem vidros duplos, sujeitos ao ruído da avenida mais movimentada da cidade.

Findo o período do protocolo e sem que a UTAD tivesse colocado uma pedra no solar, antes pelo contrário, assistiu passivamente à sua degradação, a Câmara construiu no terreno sobrante, as actuais instalações da escola de enfermagem, para onde a UTAD transferiu a contragosto, os seus serviços.

Embora a cidade de Chaves seja do ponto de vista turístico, mais interessante que a de Vila Real, porque além de ficar no centro da região termal, beneficia ainda da sua proximidade com a vizinha Espanha, tendo sido a pioneira do projecto europeu Eurocidade, e por via disso podia até captar alunos do outro lado da fronteira. O facto é que a reitoria da UTAD olhou sempre para este polo com grande ostracismo, e ao que parece, prepara-se agora para o encerrar.

Já agora sugiro que altere também o seu nome, assim em vez de UTAD - Universidade de Trás os Montes e alto Douro, passe a chamar-se UVR Universidade de Vila Real.

 

 

publicado por Nuno Santos às 13:04

E A PROXIMA A SER LEVADA É A IGREJA DA SENHORA DA AZINHEIRA, AINDA FALTA DECIDIR SE PARA O ESTADIO DA OU DE ALVALADE; VAMOS VER
Anónimo a 1 de Abril de 2014 às 15:44

Só se for para o de Alvalade para que ilumine melhor os árbitros, o da Luz já tem lá uma "capela" que mandou construir a mulher do Manuel Damásio.
Nuno Santos
Nuno Santos a 1 de Abril de 2014 às 16:52

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Abril 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

14
16
19

20
21
22
23
26

28
29


links
pesquisar
 
Visitantes
blogs SAPO