Outeiro Secano em Lisboa

Abril 25 2013

 

Passam hoje 39 anos sobre o dia em que, os capitães de Abril instauraram no nosso país a democracia, em cujos princípios programáticos tinham a implementação dos três Dês. Democracia, Descolonização e Desenvolvimento. O D do Desenvolvimento, foi aquele que ficou mais incompleto, porquanto, Portugal não atingiu esse desiderato na sua plenitude. É notório o atraso que em muitas áreas ainda preserva, nomeadamente a económica, para a generalidade dos países, seus parceiros na Europa.

Infelizmente essa falta de desenvolvimento, não é visível apenas na relação com os outros países europeus, porque dentro do próprio país, existem muitas assimetrias. Aliás os jornais de hoje anunciavam que os distritos de Bragança e Vila Real, ambos integrados na província de Trás-os-Montes, perderam nestes últimos 10 anos, mais de 30.000 habitantes.

Destes 30.000 transmontanos uns deslocaram-se para o litoral, outros emigraram para fora do país. Por essa razão continua a justificar-se a comemoração do 25 de Abril, cuja matriz é a liberdade, igualdade e fraternidade. Este ano porque não estou em Lisboa, não vou descer a avenida da liberdade, um ritual que  faço há  39 anos, mas o meu espírito está lá, por isso aqui fica a minha homenagem  ao 25 de Abril, neste belo poema do Ary dos Santos .

 

“Portugal Ressuscitado”

 

Depois da fome, da guerra

 da prisão e da tortura

 vi abrir-se a minha terra

 como um cravo de ternura.

Vi nas ruas da cidade

 o coração do meu povo

 gaivota da liberdade

 voando num Tejo novo.

 Agora o povo unido

 nunca mais será vencido

nunca mais será vencido

 Vi nas bocas, vi nos olhos

 nos braços nas mãos acesas

 cravos vermelhos aos molhos

 rosas livres portuguesas.

 Vi as portas da prisão

abertas de par em par

 vi passar a procissão

do meu país a cantar.

Agora o povo unido

 nunca mais será vencido

 nunca mais será vencido

 Nunca mais nos curvaremos

 às armas da repressão

 somos a força que temos

 a pulsar no coração.

 Enquanto nos mantivermos

 todos juntos lado a lado

somos a glória de sermos

 Portugal ressuscitado.

 Agora o povo unido

nunca mais será vencido

 nunca mais será vencido.

 

 José Carlos Ary dos Santos

 (Caxias, 26 de Abril de 1974)

publicado por Nuno Santos às 00:14

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

15
17
18
20

21
24



links
pesquisar
 
Visitantes
blogs SAPO