Outeiro Secano em Lisboa

Maio 09 2013

 

Era este o grito de incentivo que noutros tempos se ouvia, no velhinho estádio municipal, ao som dos altifalantes da Electro Flávia - José Dias, também conhecida por Electro Fanhonha, por causa da sua deficiente dicção.

Mais recentemente esse grito de incentivo passou para – É de Chaves! É de Chaves!

Quer seja um ou outro o grito de incentivo, esperamos que neste fim de semana, se faça ouvir bem alto no estádio do Restelo em Lisboa, onde se vão realizar os jogos para o apuramento do campeão nacional da II Divisão Nacional, entre os três vencedores de cada zona.

Zona Norte (Desportivo de Chaves) Zona Centro (Académico de Viseu e Zona Sul (Sporting de Farense).

Os jogos iniciam-se logo na sexta-feira às 18 horas, entre o Chaves-Académico de Viseu, jogando de novo o Chaves no sábado às 17 horas com o Farense.  No domingo às 17 horas, jogam o Farense-Académico de Viseu, cujo encontro perde totalmente o interesse, se o Chaves vencer os dois jogos, pois sagra-se imediatamente campeão.

O Chaves vai realizar os dois jogos num intervalo de apenas 23 horas, não havendo o resguardo das 72 horas, que tanta polémica gerou na primeira liga.

Como o desfecho deste calendário foi inesperado, porquanto o pressuposto era que os jogos se disputassem semanalmente, em casa de cada uma das equipas, tenho outros planos para este fim-de-semana, os quais me levam para fora de Lisboa.

Por isso não vou estar no Restelo, mas estarei em espírito, e ciente de que não será pela falta de apoio, porque se a ostentamos orgulhosamente a sigla de Valentes Transmontanos, então aqui deixo o apelo para todos os transmontanos residentes na capital, para que vão ao Restelo, apoiar o nosso Desportivo.

 

publicado por Nuno Santos às 16:53

Maio 08 2013

Com bastante atraso confesso, trago hoje aqui como post, a rampa da igreja, uma obra feita pela actual Junta de Freguesia, com especial destaque para o seu presidente, cujo empenhamento e acto de coragem neste processo, são por demais de elogiar.

Tendo em consideração a matriz religiosa da maior parte da nossa população, esta obra era uma necessidade básica para a nossa população sénior, e outros cujas dificuldades de locomoção, os impedia de frequentar a igreja, sendo certo que aqueles que o faziam, era com um enorme sacrifício que subiam as escadas da igreja, recorrendo à ajuda de familiares ou vizinhos.

Esta obra tem mais de sessenta anos de atraso, e repõe um erro histórico cometido pelo Padre Carlos, enquanto padre da nossa freguesia e mandou fechar a porta agora reaberta, porque segundo ele, os animais domésticos que, na época andavam à solta pelas ruas, profanavam o adro da igreja.

Esta obra trouxe um valor acrescentado para a aldeia, não só pela construção da rampa, mas também, pela requalificação do espaço, o qual anteriormente estava fechado e sem qualquer aproveitamento público, agora foi convertido num novo espaço de lazer e criado um lugar de estacionamento, ao serviço da igreja.

Mas como Cristo não agradou a todos,  esta obra também  não agradou a uma minoria, e por isso está em demanda judicial, obrigando a que se gastem recursos públicos na justiça, desnecessariamente.

É a sociedade em que vivemos, esperamos agora que a Justiça se faça com celeridade, repondo o uso que vem de há centenas de anos, mantendo tudo como está agora, porque como é visível, esta obra é uma mais-valia para a nossa terra.

 

publicado por Nuno Santos às 12:12

Maio 07 2013

Já não bastava o mau estar causado com a evolução socio-política, hoje pesa uma grande frustração na maioria dos adeptos do futebol, com particular destaque para os benfiquistas e sportinguistas. Os primeiros porque após o empate de ontem com o Estoril, hipotecaram a possibilidade de serem campeões neste ano, podendo repetir o mesmo feito do Sporting no tempo de José Peseiro, quando numa semana, perdemos o campeonato, a taça da Liga Europa e o acesso à Champions League, pese embora para o Benfica, essa presença já esteja assegurada.

Este empate do Estoril afastou em definitivo o Sporting da ida à Europa, com alguma justiça diga-se em abono da verdade, porque apesar de ter sido prejudicado num ou noutro jogo pelas arbitragens, o certo é de que o Sporting fez nesta época, um campeonato miserável, tendo em consideração a valia dos atletas que compõem o seu plantel.

Quanto ao Benfica ainda depende exclusivamente dos seus resultados, desde que ganhe nas Antas, ou ainda que perca o jogo no Porto, mas este não ganhe em Paços de Ferreira o que parece improvável, atendendo à valia e experiência da equipa portista.

Deste modo no próximo fim-de-semana, vamos assistir ao jogo do título, eu não estarei em casa, mas estou já a perspectivar já onde vou ver o jogo, pois como adepto do fenómeno desportivo, não quero ficar à margem deste acontecimento, que será o jogo do ano.

Eu confesso que convivo melhor com as vitórias do Porto, do que com as do Benfica. Primeiro por razões de rivalidade mas também de proximidade, segundo porque não suporto a arrogância dos benfiquistas na hora da vitória, não só dos seus adeptos como da comunicação social em geral.  
publicado por Nuno Santos às 08:02

Maio 06 2013

Do dia 3 a 26 de Maio está patente ao público, no Museu da Electricidade em Belém, a exposição do World Press Photo 2013. A exposição deste ano tem para nós um aliciante, porquanto, entre os trabalhos premiados está o do português Daniel Rodrigues, o tal fotógrafo que, até já tinha vendido o equipamento para sobreviver, mas graças ao prémio obtido, viu relançada a sua carreira de fotógrafo.

Esta exposição é o resultado de imagens captadas por foto jornalistas de todo o mundo, selecionadas depois por um júri internacional. Pese embora a sua beleza estética, contém imagens chocantes, com especial relevo para situações de calamidades e violência, mostrando-nos um pouco do que se vai passando por esse mundo fora, como forma de nos alertar de que este mundo não é só uma zona de conforto, à qual a maioria de nós está habituado, apesar dessa zona de conforto estar a diminuir cada vez mais.

A exposição está aberta de terça a quinta-feira das 10 às 18 horas, mas de sexta a domingo está aberta das 10 às 24 horas.

Quem visitar esta exposição, não pode perder no mesmo edifício, uma visita ao museu da electricidade, construído sobre a primeira central eléctrica que abasteceu Lisboa.

Trata-se de um museu fabuloso, onde se pode ver não só a forma como se produzia a electricidade, como nos mostra bem, as condições de trabalho do antigamente, em comparação com as actuais.

publicado por Nuno Santos às 19:07

Maio 05 2013

 

 

Chamam-se homógrafas às palavras que se escrevem da mesma maneira, mas têm um sentido diferente. Por exemplo, o DEO é um jogador brasileiro de futsal que, joga no Sporting há mais de dez anos.
Mas desde a última sexta-feira, os portugueses ficaram a conhecer um outro DEO, o Documento de Estratégia Orçamental, cuja importância e relevância nas nossas vidas, se tornou bem mais importante que os golos do DEO, e costumam ser muitos os que marca pelo Sporting, tendo contribuído para a conquista de alguns títulos nacionais, numa das poucas modalidades em que o Sporting ainda é campeão nacional.
O DEO apresentado na última sexta-feira pelo primeiro-ministro, pôs o país em convulsão, com críticas vindas da esquerda e da direita. Curiosamente as mais contundentes até vieram de ex-dirigentes do PSD, como a Dra. Manuela Ferreira Leite ou o Dr. Luís Marques Mendes, dizendo este que o DEO, era uma bomba social.
Com efeito estas novas medidas são uma bomba social, em especial para os funcionários públicos e para os pensionistas, as maiores vítimas destas medidas, mas no fundo toca a todos, pois prevê-se que o seu efeito se prolongue durante mais vinte anos, até que a nossa dívida baixe até 60% do PIB.
Assim vamos ter mais austeridade, em cima da austeridade que já temos, e porque a austeridade é transversal a toda a economia, logo o desemprego irá afetar não só os funcionários públicos, mas todos os portugueses em geral. O mais lamentável é que temos um governo forte com os fracos e fraco com os fortes, de modo que são sempre os mesmos a pagar a factura.
São os trabalhadores por conta de outrem, mas também os pensionistas que ao longo dos anos de vida activa, mantiveram um contrato social como estado, e mediante esse contrato fizeram os seus descontos para depois usufruírem na sua velhice.
Esse contrato é agora rasgado pelo Estado, em nome do pagamento de uma factura, para a qual não contribuíram, mas são eles que têm de a pagar. Os maiores penalizados são sem sombra de dúvida os funcionários públicos, os quais veem agora acabar uma das poucas garantias que possuíam, a da segurança do emprego, porque a nova lei da mobilidade, é para eles uma nova lei de despedimento.
Quanto aos pensionistas a medida não se repercute apenas nas grandes pensões, tipo Filipe Pinhal ex- administrador do BCP, o qual recebe 70.000 € mensais, esta medida aplica-se aos pensionistas com mais de 600 €. Enfim o DEO é uma coisa péssima para todos os portugueses. Já os sportinguistas esperam que o seu DEO, ajude a conquistar mais um título, a ver se nos ajuda a levantar o astral porque este ano, tem andado muito em baixo e em linha com a política do país. 
 
publicado por Nuno Santos às 09:41

Maio 03 2013

 

Hoje é dia 3 de Maio, uma data que se celebra pelo mundo fora, mas também no nosso país, como o dia da Santa Cruz, porque segundo a lenda, o Santo Lenho roubado pelos persas, séculos mais tarde após a crucificação de Cristo, terá sido recuperado pelo imperador Heráclio, que o levou às suas próprias costas, desde Tiberíades até Jerusalém, onde a Cruz foi entregue ao patriarca Zacarias, no dia 3 de Maio de 630 - data que recebeu a designação do Dia da Santa Cruz ou Invenção da Santa Cruz.

Também na nossa freguesia se celebrou durante anos, no lugar de Santa Cruz esta festa, embora mais conhecida pela festa do 3 de maio, do que pela festa da santa cruz. Actualmente o lugar de Santa Cruz foi desanexada da freguesia de Outeiro Seco e agrupada à cidade, alterando o nome para Santa Cruz – Trindade. Mas apesar de ter multiplicado a sua população por vários dígitos, deixaram cair a festa.

Há porém outros locais onde a festa da santa cruz, continua a ter uma enorme tradição. Em Vila Nova de S. Bento (Serpa) onde reside o meu irmão Diamantino, esta festa tem uma peculiaridade interessante,  com a montagem das cruzes, dentro das próprias casas.

Com as respectivas diferenças, esta prática é algo semelhante ao nosso armar dos andores.

Como forma de agradecer as graças recebidas, o agraciado arma  numa divisão da sua casa a santa cruz, uma espécie de altar,  decorando essa divisão com rendas e tapetando o chão de rosmaninho.

As pessoas da terra e os visitantes vão depois de casa em casa, adorando a cruz. Em todas essas casas com a cruz armada, existe também a mesa sempre posta para quem quiser comer e beber. Costumam-se armar  cerca de uma dezena as cruzes anualmente. Um dos pontos mais altos desta festividade, é na sexta-feira que precede a festa de domingo, (portanto hoje) sendo a romagem feita por grupos de cantares alentejanos. Garanto-vos que é de ir às lágrimas, e eu já vivi esse momento.

Uma outra terra onde se celebra a santa cruz é em Barcelos, cuja festa se chama precisamente, a festa das cruzes. Aqui cada freguesia arma a sua cruz, ficando depois expostas num parque da cidade. A fotografia que ilustra o post, é disso um testemunho.

publicado por Nuno Santos às 20:00

Maio 02 2013

 

Existe um filme dos irmãos Cohen com o título “Este país não é para velhos”, ainda que o título possa ter duas leituras, objectivamente o título não se adequa ao nosso país, porque de facto, está a ficar cada vez mais envelhecido, e Outeiro Seco reflete bem essa situação, senão vejamos:

Na recente visita à aldeia, numa noite em casada minha mãe, demo-nos ao trabalho de fazer um mero exercício, contando as pessoas nascidas antes de 1933, ou seja, com mais de oitenta anos. Sem grande rigor embora não andemos longe da realidade contamos 67 pessoas, omitindo propositadamente as que eventualmente residem nos bairros de S. Bernardino e Cruzeiro, por não serem naturais da aldeia.

Eis a distribuição por bairros dessa demografia sénior:

 

Eiró       17

 Papeiro 12

 Borrajo  8

Pelâmes  5

 Pontão 10

P. Manso 7

Crosseira 8

Total 67

 

Este número representa cerca de dez por cento da população de Outeiro Seco. Mas se este censo abrangesse os nascidos entre a década de 40 e 50, então esta percentagem subia quase para os cinquenta por cento, do total dos residentes na aldeia.

Há dias escrevi sobre o futuro Centro de Dia da AMA, e porque fiz algumas considerações, na minha óptica realistas, fui acusado de bota abaixo por um comentador anónimo.

Ora uma análise ligeira sobre estes números, parece-nos evidente a necessidade da construção do Centro de Dia e Noite, mas aqui fica um exercício interessante para os órgãos sociais da AMA, façam um levantamento junto desta população sénior, procurando saber quem e quanto estariam dispostos a pagar, para entrarem para o lar.

De salientar que a exigência deste levantamento já tinha sido feito pelos Serviços da Segurança Social, e mais que o mesmo, se fizesse junto da população de Outeiro Seco e Vilela Seca, onde também não existe nenhum equipamento desta natureza, e a Segurança Social queria agrupá-los com a nossa freguesia.

Na minha modesta opinião este deveria ser este o começo do processo, para evitar o tal elefante branco que, citei no outro post. Porque para lá da sua construção cuja missão é na actual conjuntura hercúlea, existe depois a questão da sua sustentabilidade a qual não é inferior.

publicado por Nuno Santos às 23:47

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
15
17

19
21
22
25

26
29
31


links
pesquisar
 
Visitantes
subscrever feeds
blogs SAPO