Outeiro Secano em Lisboa

Setembro 05 2013

 

 

 

Sanxenxo é um lugar de veraneio que dista de Chaves, a pouco mais de uma centena de quilómetros, e não fora a temperatura da água ser mais fria, em meu entender, rivalizava com as praias do Algarve.

São imensos os portugueses que procuram esta e outras praias limítrofes, porque os preços são acessíveis, mas também, porque os espanhóis despertaram para esta coisa do turismo, bem mais cedo que os portugueses, tornando as acessibilidades às praia bem mais fáceis.

Quem queira fazer praia em Sanxenxo, só precisa do carro para lá chegar e para de lá sair no fim das férias, a não ser que queira fazer um reconhecimento da zona.

Para se ter uma ideia, circulam a pé todas as noites pela marginal de Sanxenxo, mais de 3.000 pessoas, dando a ideia do potencial das lojas, cafetarias e geladarias ali instaladas.  O mesmo não se passa em muitas das praias do algarve, onde o carro é necessário para ir à praia, porque a distância a que ficam a maioria dos aldeamentos turísticos, a isso obriga.

Sanxenxo fica situado na província de Pontevedra, nas chamadas Rias Baixas, para quem conhece os fiordes dos países nórdicos, diferenciam-se destes pelo relevo das margens, sendo as margens dos fiordes mais acentuados, e por causa do degelo, com enormes quedas de água dando uma outro enquadramento a esses locais.

As Rias Baixas por causa das  características das suas águas, estão pejadas de viveiros de mexilhão e de outras espécies. Essas estruturas parecem centenas de jangadas de madeira, navegando desgovernadas pelas águas quando as mesmas estão estáveis, sendo até possível visitá-las através de circuitos específicos para o efeito.

Esses viveiros consistem numa estrutura em madeira com cordas mergulhadas dentro da água, onde os mexilhões se agarram e fazem o seu processo de crescimento. Chegados à dimensão adequada, as cordas são puxadas, o mexilhão é retirado entrando depois na cadeia comercial. Esta indústria está instalada praticamente desde Vigo até à Corunha, mas esteve em perigo, quando há poucos anos o petroleiro Pristina encalhou nessas águas, derramando a sua carga petrolífera.

Na altura muitos ambientalistas de quase todo o mundo mobilizaram-se, para reparar esse desastre ecológico. Sanxenxo fica também situado na rota do vinho verde, da casta alvarinho, o qual não tem a qualidade do vinho produzido em Monção, devido à qualidade intrínseca das nossas terras. Mas infelizmente uma boa parte das vinhas de Monção, já pertencem aos espanhóis, de modo que uma boa parte dessa produção, acaba por ser consumida do lado de lá.

A poucos quilómetros de Sanxenxo fica a Latoja para os castelhanos, ou A Toxa para os galegos. Durante anos os que viviamos na zona raiana, conhecíamos este nome pelo creme da barba que comprávamos em Feces de Abajo no Felecindo. Porém os balneários de Latoja lá continuam, agora mais diversificados na sua produção,  comercializando vários os produtos com a sua marca.

Em frente do Balneário fica a capela, toda ela revestida a conchas de vieiras, tornando este pequeno monumento bem peculiar. Ultimamente têm-se organizado na aldeia, várias excursões a Vigo, em especial à praia de Samil, pois sugiro que numa próxima esqueçam a praia e subam um pouco mais, visitando Sanxenxo, os viveiros e sobretudo Latoja.

 

publicado por Nuno Santos às 09:20

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Setembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
13

15
16
17

28



links
pesquisar
 
Visitantes
subscrever feeds
blogs SAPO