Outeiro Secano em Lisboa

Dezembro 15 2013




Diz-se que o Natal é quando um homem quiser, eu desde a morte do meu pai passei a ter dois. Um no Alentejo, em casa do meu irmão Diamantino, onde a minha mãe costuma passar os meses mais frios de inverno. O outro é na aldeia, em casa dos meus sogros com a restante família.

Neste fim de semana passei então o meu primeiro Natal, começando logo na sexta-feira com o Jantar de Natal da empresa, já referido no post anterior. Aproveitando a estadia no Alentejo, e como é habitual, fomos visitar outro outeiro secano radicado em Baleizão, a cerca de 30 quilómetros da terra do meu irmão. Trata-se do nosso primo Zé Fernando, que foi uma das minhas referências na juventude. O Zé já reformado da sua vida docente, dedica-se agora à agricultura, no seu belo monte designado por "Courela das Freiras" é estranho a referência às freiras, numa terra em que a mártir foi uma comunista, a Catarina Eufémia. 

Trata-se de um belo monte, em que o Zé se dedica a multiculturas, que vão da produção crealífera à vinha passando pela olivicultura. As fotos tiradas com o telemóvel, não dão uma ideia da dimensão do espaço nem era essa a ideia, mas apenas demonstrar a sua adega onde ele faz juz à tradição e modernidade na produção do vinho.

São visíveis a talhas, utilizadas já no tempo da romanização, as pipas em madeira, e as modernas cubas em inox. O que vos digo é que o Zé presenteou-nos com umas garrafas de vinho tinto e branco e o tinto que bebemos ao almoço, foi aprovado com distinção.




publicado por Nuno Santos às 21:38

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
13

16
18
19
21

22
23
24
25
26
27

29


links
pesquisar
 
Visitantes
subscrever feeds
blogs SAPO