Outeiro Secano em Lisboa

Maio 04 2014

Tal como como acontece com outras comemorações, o dia da mãe apesar da sua comemoração universal, não tem uma data em comum. Durante muitos anos em Portugal este dia comemorou-se no feriado do dia 8 de Dezembro, associando-se ao dia da Imaculada Conceição, o dogma de que Maria é virgem e livre do pecado.

Quando da restauração da Independência em 1640, D. João IV cimentou ainda mais esta data, coroando a nossa senhora, atribuindo-lhe a graça de nos livrar da governação dos espanhóis. Porém já em finais do século XX, em nome não sei do quê, o dia da mãe passou para o primeiro domingo de Maio. 

Noutros países este dia tem origens variadas, por exemplo nos Estados Unidos, o dia das mães foi criado no século XIX, pela activista Anna Maria Reeves, como forma de melhorar as condições dos feridos e flagelados, pela guerra da Secessão.

Eu recordo-me da minha primeira celebração do dia da mãe, andava na terceira classe e a nossa professora a D. Matilde “caretas” que, juntamente com as irmãs eram as proprietárias das papelarias “Plastic”, uma na rua de S. António, outra na Rua Direita, trouxe para a escola umas estampas alusivas ao dia da mãe, a fim de nós escolhermos e pagá-las claro está.

Eu escolhi uma estampa em que aparece a senhora com o menino ao colo, e por trás tinha impresso a célebre frase. “ Com três letrinhas apenas se escreve a palavra mãe, é de todas a mais pequena, a maior que o mundo tem”.

Felizmente ainda me incluo naqueles que têm mãe, e hoje vou ter a felicidade de poder comemorar parte do dia com ela, porque o restante será passado na viagem de regresso a Lisboa e ao quotidiano. Para todas as mães e filhos um dia super feliz.

publicado por Nuno Santos às 09:12

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Maio 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9


20

28
29


links
pesquisar
 
Visitantes
subscrever feeds
blogs SAPO