Outeiro Secano em Lisboa

Junho 26 2014

Nem sempre no futebol ganham as equipas que merecem, mas desta vez no Grupo G, onde Portugal estava inserido, as equipas apuradas foram aquelas que mais fizeram por isso, ou seja a Alemanha e os Estados Unidos.

Deste modo a seleção portuguesa vai regressar a casa mais cedo, e a pensar já no apuramento para o Europeu de 2016, cujo primeiro jogo vai ocorrer já no dia 7 Setembro contra a Albânia, quase à mesma hora da procissão das velas da nossa festa,  ao que parece com o mesmo timoneiro, porque Paulo Bento a quem imputo o maior quinhão de responsabilidade neste insucesso, já disse que não se demite.

Não sendo um expert na matéria, em minha opinião foram vários os factores que estiveram na origem da nossa eliminação precoce. O primeiro deve-se à não renovação da equipa em sectores deficitários, como o lado esquerdo da defesa, ao não levar um defesa esquerdo de raiz, no caso o Antunes ou o Diogo Figueiras, contando apenas com o Fábio Coentrão que, se lesionou logo no primeiro jogo.

O segundo factor foi a insistência em jogadores com défice físico no meio campo, e só no último jogo alterou esse figurino. Por fim o facto do Cristiano Ronaldo não estar no seu melhor momento de forma, fruto da época desgastante que teve no seu clube, o Real Madrid.

Houve outros factores como as lesões e o o clima, embora isso não sirva de atenuante, porquanto, o clima foi igual para todas as equipas, e a esmagadora maioria dos jogadores, mesmo os das equipas da América do Sul e de África, jogam em equipas europeias.

Um outro facto a merecer uma análise mais cuidada, embora de cariz externo e em sede da UEFA, prende-se com o facto da excepção da seleção Alemã, as equipas dos países com os campeonatos mais disputados, como o da Inglaterra, Espanha, Itália e Portugal, ficaram todas pela na primeira fase.

Agora rei morto rei posto e como o Brasil é o anfitrião da Copa e nos recebeu tão bem, pois agora que ganhe o Brasil.

 

 

 

publicado por Nuno Santos às 21:16

Junho 26 2014

 

Quem segue o fenómeno desportivo com alguma proximidade, vê-se confrontado constantemente com vários estados de alma, umas vezes de exaltação outras de repulsa, ainda que nem sempre provocados pelos resultados da sua equipa.

Esta semana ficamos estupefactos com a tomada de posição dos jogadores do Gana, quando impuseram à sua Federação um ultimato, de que só jogariam com a selecção portuguesa, se recebessem os prémios de qualificação em atraso.

Ora se por um lado isso nos pareceu um absurdo, por estarmos numa fase final de uma prova que, envolve tantos milhões, por outro lado, o facto se passar com uma selecção africana, oriunda de um país pobre e subdesenvolvida, permite-nos alguma condescendência e tolerância.

O pior é que António Boronha ex-vice presidente da Federação Portuguesa de Futebol, denunciou ontem na sua página do facebook, uma situação semelhante, ocorrida quando do euro de 2000 na Inglaterra, com o ex-seleccionador e actual vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Humberto Coelho, que foi também durante muitos anos o capitão da selecção e do Benfica.

Segundo escreveu o António Boronha, a menos de seis horas de embarque da selecção para Londres, o Humberto Coelho exigiu 6.000 contos,  30.000 euros à actual moeda para embarcar, de outra forma, a selecção iria sem o treinador principal, apesar de no momento, não haver qualquer incumprimento contratual.

Perante a chantagem o então presidente Gilberto Madaíl cedeu, e lá seguiu a selecção “cantando e rindo” escreveu o Boronha.

Actualmente vemos o Humberto Coelho de mão no peito cantando o hino, com grande fervor e exaltação patriótica, para quem só vive o fenómeno desportivo pela emoção, este episódio não deixa de nos entristecer a todos.

publicado por Nuno Santos às 07:51

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
13
14

16
18
19
20

25
28



links
pesquisar
 
Visitantes
subscrever feeds
blogs SAPO