Outeiro Secano em Lisboa

Julho 12 2014

 

O ponto de encontro em Outeiro Seco foi sempre o Largo do Tanque, tanto dos mais jovens como dos mais velhos, desde logo, porque este local fica situado a meio do povo, e era onde as raparigas vinham à agua, iniciando-se ali muitos dos namoros.

Esses encontros prolongavam-se muitas das vezes pela noite a dentro, em especial nas noites de verão e à luz do luar, porquanto a eletricidade só chegou à aldeia, no início da década de setenta.

O facto de não haver luz elétrica, propiciava aos jovens a cobertos do escuro da noite protagonizarem algumas cenas proibidas, como o assalto a galinheiros, só para fazerem uma tainada.

E foi precisamente numa dessas noites escuras que, um grupo de mariolas combinou assaltar o galinheiro do senhor José Chaves, mais conhecido por Zé Rico, o qual ficava fora da habitação, num antigo forno que fica defronte.

Havia sempre alguém no grupo que se destacava, pelo seu espírito de aventura, e foi precisamente esse quem entrou no galinheiro, trazendo a primeira galinha que encontrou.

O grupo foi depois para um outro forno, propriedade da avó de alguns dos intervenientes, onde estufaram a galinha e a comeram durante a noite.

No dia seguinte o tio Zé investigava no tanque, quem lhe teria roubado a galinha. Claro que ninguém se acusou, porém o tio Zé lamentava-se.

- Eu até nem é tanto pela galinha, mas o que é que eu vou fazer agora, aos doze ovos que ela chocava?

Foi então que o grupo ficou a saber que, tinham comido uma galinha choca, apesar das galinhas neste estado ficarem febris, todos acharam que  estava um verdadeiro pitéu.

 

publicado por Nuno Santos às 19:28

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Julho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10

14


28


links
pesquisar
 
Visitantes
subscrever feeds
blogs SAPO