Outeiro Secano em Lisboa

Outubro 18 2014

600.jpg

 

dragao1.jpg

 

 A caixa de segurança

 

 

Hoje vai haver mais um clássico entre o Porto e o Sporting, infelizmente com o ambiente já um pouco inquinado, pese embora os intervenientes mais ligados ao jogo, os jogadores e as suas equipas técnicas, tenham assumido uma atitude muito assertiva, valorizando o jogo apenas na sua vertente desportiva, omitindo polémicas colaterais.

Todos sabemos que nestes jogos escaldantes, há sempre algum sal e pimenta, e do lado do Sporting, foi o seu presidente Bruno de Carvalho, ainda novato nesta função, quem copiou alguns dos tiques do presidente  adversário, os quais deram resultados desportivos no passado, diga-se em abono da verdade.

Do lado do Futebol Clube do Porto, o seu presidente Pinto da Costa assume uma posição mais profile, agora raramente fala para a comunicação social, não reage em público, embora não deixe de agir de forma cínica e à sua maneira.

Primeiro foi com a rábula dos bilhetes. Cada clube visitante tem direito a dez por cento do total da bilheteira e no caso do estádio do Dragão, com capacidade para 44.000 espetadores, o Sporting teve direito a 4.400 bilhetes.

Tem sido prática nos anos anteriores, o clube anfitrião disponibilizar a totalidade dos bilhetes, a que o clube adversário tem direito, aceitando antes do jogo as devoluções dos bilhetes não vendidos, fazendo-se depois o acerto das contas. Desta vez não foi assim, o Porto utilizando a premissa da lei, enviou para Alvalade os 4.400 bilhetes , mas em simultâneo exigiu o seu pagamento integral, assumindo o Sporting o ónus de os vender todos ou não, ao que se sabe faltam vender apenas 200 que serão postos à venda hoje no solar dos leões do Norte, na cidade do Porto.

O segundo facto a inquinar a relação, foi a colocação no estádio do Dragão, de uma caixa de segurança, num espaço destinado aos apoiantes do Sporting. Esta situação já acontecera uma vez no estádio da Luz, gerando uma grande polémica que, incendiou os ânimos e o estádio.

Espera-se que hoje aconteça, apenas um jogo de futebol, que seja tão intenso e ordeiro quanto foi o realizado recentemente pelas duas equipas em Alvalade, para o campeonato. A única diferença é que neste jogo, sendo uma eliminatória para a taça de Portugal, só vale um resultado, a vitória, seja no tempo regular, no prolongamento ou nos penaltis.

Como é óbvio eu ficarei a torcer e a sofrer por uma vitória do meu clube, o Sporting Club de Portugal.

 

 

publicado por Nuno Santos às 09:22

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Outubro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

15

20
24

28
29


links
pesquisar
 
Visitantes
subscrever feeds
blogs SAPO