Outeiro Secano em Lisboa

Junho 16 2015

La rochelle.jpg

 La Rochelle

Chambord 1.jpg

 Le chateau de Chambord

Como estamos em época de férias, eis um ótimo circuito para dois casais fazerem de automóvel, desde que gostem de viajar e tenham gostos comuns. O circuito denominado como “Vale de Loire”, permite visitar a região considerada como o “Jardim da França” e classificada como património mundial pela UNESCO.

Além das paisagens verdejantes ao longo de todo o percurso do rio Loire, visitam-se cidades históricas cheias de monumentos arquitectónicos, como: Orleans, Blois, Amboise, Tours, Nantes, Saint Nazaire ou La Rochelle.

Mas não são apenas as cidades que, prendem a atenção dos visitantes, o que mais impressiona nesta região, são os seus belos castelos medievais, entre os quais os de Chambord, Cheverny e Chenonceau.

Estes castelos recordam-nos o nosso imaginário infantil, quando líamos as histórias da Bela Adormecida ou de Alice no País das Maravilhas.

De salientar que esta região é onde se produzem os famosos vinhos franceses, entre os quais o Saint Emilion.

A primeira noite pode ser dormida em San Sebastian, no País Basco, uma cidade cheia de encanto e beleza, bem próxima da célebre fronteira Irún/Hendaia, por onde tantos emigrantes portugueses passaram a salto, rumo a Paris.

Em “passant” pode-se visitar Biarritz, uma zona de veraneio que, na década de sessenta, rivalizava com a Cote d’Azur. Segue-se depois para Toulouse e dali até Orleans. Porém, pode-se ainda fazer um pequeno desvio, para visitar o santuário de Lourdes, cuja monumentalidade e culto rivaliza como o nosso santuário de Fátima.

A viagem deve contemplar no mínimo sete noites, no regresso embora já fora do Vale do Loire, fica a cidade de Bordéus, uma das cinco maiores cidades francesas, a qual merece também uma dormida, pelo menos.

Embora seja das cidades mais pequenas do circuito, La Rochelle é de todas,  aquela que mais marca o visitante, talvez pela sua relação com o mar, fazendo-nos lembrar cidades como, Nazaré ou Sesimbra.

Esta viagem é um caldo de elementos culturais com a dos sabores, por causa dos excelentes vinhos, passando pelo queijo Roquefort, também desta região, mas também da excelente gastronomia francesa, sobretudo os célebres “moulles” de La Rochelle.

Aconselho a quem puder viajar que o faça, porque como dizia Fernando Pessoa: “A vida é o que fazemos dela. As viagens são os viajantes. O que vemos não é o que vemos, senão o que somos”.

publicado por Nuno Santos às 18:47

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Junho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
17
20

22
23
24
25
26
27

29
30


links
pesquisar
 
Visitantes
subscrever feeds
blogs SAPO