Outeiro Secano em Lisboa

Fevereiro 08 2016

solar.jpeg

 

Há dias li no blogue do Luís Montalvão ( http://velhariasdoluis.blogspot.pt/ ) mais um excelente post, dedicado ao solar dos Montalvões, o qual é um grito de revolta e de indignação, pela contínua degradação do solar.

O Luís embora de origens transmontanas é natural de Lisboa, mas tem sido dos poucos que, publicamente tem assumido as dores, por ver a contínua degradação do solar, talvez por homenagem ao seu pai, José Manuel Montalvão, neto do Dr. José Maria Ferreira Montalvão, seguramente um dos familiares que, mais usufruiu do solar, quando passava as férias grandes com os avôs, em Outeiro Seco .

Nesse post o Luís dava conhecimento do solar estar registado no site http://www.monumentos.pt/Site/APP_PagesUser/SIPA.aspx?id=35397.

Na altura eu comentei o post, congratulando-me por mais um registo, convencido de que Outeiro Seco, passava agora a ter dois imóveis do nosso património material registados, o solar e a igreja da Sra da Azinheira.

Em resposta o Luís informou-me de que, Outeiro Seco, tinha mais património  registado entre os quais;

Capela da Senhora da Portela

Cruzeiro Senhora da Portela

Cruzeiro em frente do Solar

Antiga Escola Primária

Vale de Lagares.

Só que Outeiro Seco, tem muito mais património, digno desse registo. Desde logo, a Capela da Sra do Rosário, nomeadamente após a descoberta dos frescos e do seu recente restauro, além da sua Ara Romana. A Capela da Sant'Ana, primeiro pela sua origem, um altar pagão, depois pela recente descoberta, do presépio cavado na rocha, assim como o Castro, adjacente. O Calvário que em extensão é o maior do concelho, assim como um outro Cruzeiro, junto à anterior escola primária, mais a Pedra de Mesa, a qual serviu como tribunal na época medieval.

Mas segundo  o Luís Montalvão, para  propor aos Monumentos o seu reconhecimento, torna-se necessário serem fotografadas, e com um texto fundamentado. Ora todos reconhecemos os dotes de fotógrafo, do nosso conterrâneo, Humberto Ferreira, assim como os seus dotes de escrita. Por isso aqui fica o repto, a proposta de reconhecimento, de mais este nosso património material de Outeiro Seco.

 

 

 

 

 

 

 

publicado por Nuno Santos às 12:15

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Fevereiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12

18
19

21
24
25

28
29


links
pesquisar
 
Visitantes
subscrever feeds
blogs SAPO