Outeiro Secano em Lisboa

Março 15 2016

manifestacoes-no-brasil-11.jpg

 

Ontem vimos nos telejornais, as grandiosas manifestações realizadas no domingo no Brasil, calculando-se que cerca de dois milhões de pessoas, ou seja 1% do povo brasileiro, pois o Brasil tem mais de duzentos milhões de habitantes, terão pedido na rua, a demissão da presidente Dilma Rousseff.

O que o mais me impressionou nessas manifestações, foi que entre esses manifestantes, não vi negros nem pés descalços, apenas se viam brancos bem vestidos, da chamada classe média, a qual antes da chegada do PT ao poder, quase não existia.

Não quero com isto branquear as situações de corrupção, que estão também na atualidade, infelizmente uma prática corrente no Brasil, como em outras partes do globo, pois esse combate cabe aos tribunais e nesse capítulo, os tribunais do Brasil, ao que parece, estão a fazê-lo bem, sendo até bem mais céleres e eficazes, do que os tribunais portugueses.

Mas este movimento contestatário no Brasil, parece-me ter alguma similitude com o que se passou na Venezuela, no tempo de Chávez e sinceramente, pela simpatia que sinto pelo Brasil, não gostaria de o ver transformado numa Venezuela.

publicado por Nuno Santos às 08:23

Março 12 2016

GOD_Poster_Sit.jpg

São várias as teorias sobre a criação do mundo, a Bíblia diz-nos que, no princípio era o verbo, e o verbo estava com Deus e o verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus, e todas as coisas foram feitas por ele e sem ele, nada do que foi feito se fez.

Os cientistas têm outra teoria e dizem-nos que o universo nasceu com o Big Bang ou a grande expansão. Foi o cientista Georges Lemaître o criador dessa designação, aprofundada depois por outros entre os quais, Albert Einstein com a sua teoria da relatividade.

Claro que na teoria dos cientistas sobre a criação do mundo não entra a intervenção de Deus, mas o José Rodrigues dos Santos no seu livro “A Fórmula de Deus” defende que, afinal isto anda tudo ligado, sendo transversal a todas as religiões, tanto no cristianismo, islamismo, budismo ou hinduísmo.

Atualmente está no Casino de Lisboa uma peça de teatro intitulada GOD (Deus), a qual tive o privilégio de assistir ontem. Esta peça criada por um argumentista americano, está ainda em representação na Broadway com enorme êxito.

Entre nós é representada e bem, pelo ator Joaquim Monchique, “GOD” .  Durante cerca de duas horas, de uma forma hilariante, este GOD dá-nos a sua versão da criação do mundo. Mas porque não estaremos a preservá-lo da melhor forma, apresenta-nos uns novos 10 mandamentos, a fim de evitarmos um novo Big Bang, e ao mesmo tempo, para que possamos viver todos em paz e harmonia. A não perder.  

  

 

publicado por Nuno Santos às 09:07

Março 09 2016

Cavaco-Silva.jpg

 

Ao fim de mais de três décadas ligado ao poder político, tendo-se iniciado em 3 de janeiro de 1980 no cargo de ministro das Finanças, Cavaco Silva termina hoje a sua vida política. Como todos os líderes políticos, Cavaco Silva foi idolatrado por uns, até designados como  cavaquistas, porém outros onde me incluo, acham que a ação de Cavaco Silva, foi um desastre para o país.

Enquanto primeiro-ministro, exerceu os seus mandatos, quando mais dinheiro entrou no país, vindo dos fundos da União Europeia. Os seus governos ficaram conhecidos como os governos do Betão e o seu ministro da Obras Públicas, Ferreira do Amaral, como o Betoneira do Amaral. É verdade que o país estava necessitado de muitas infraestruturas, mas vejamos onde Cavaco Silva gastou muitos desses milhões.

Na construção da IP 5 de Aveiro-Vilar Formoso, dinheiro desperdiçado porquanto, poucos anos depois, esse IP foi transformado na autoestrada a A 25, logo gastou-se o dinheiro duas vezes, o mesmo aconteceu com o IP 4, agora em reconstrução para autoestrada, com os constrangimentos agora conhecidos.

Por sua vez as infraestruturas que seriam propiciadoras do desenvolvimento regional, como a autoestrada A 24, para fazer a ligação da fronteira de Chaves ao litoral, chegou com trinta anos de atraso, os flavienses recordam-se de verem durante anos, em Vila Verde da Raia, a placa com o anúncio dessa obra, Chaves-Figueira da Foz, tal como a autoestrada do Algarve,, apesar do autêntico matadouro que era a estrada 125.

Na ação política e social, Cavaco Silva foi o responsável pelo fim da agricultura nacional e das pescas, com o abate da maioria da nossa frota pesqueira. Como membro da União, seguiu sempre os interesses dos países mais ricos, tendo lhe merecido o epíteto de "Bom aluno".

Como presidente da república a sua ação foi minimalista, nomeadamente neste último mandato, permitindo que o governo com o qual ele se identificava, tivesse posto o povo a pão e água. Por tudo isto é com alívio que vejo o seu afastamento da política.Quanto ao novo presidente, apesar da assertividade do seu discurso, mantenho muito céticismo, muito por causa do seu perfil. Como curiosidade, o novo presidente Marcelo Rebelo de Sousa substituiu Cavaco Silva na direcção do PSD, sem qualquer relevância,  por isso serei como São Tomé “ver para crer”.

  

 

publicado por Nuno Santos às 09:40

Março 07 2016

Avesso.jpg

A artista.jpg

 

Inserido na quinzena da juventude, uma organização da Câmara Municipal de Almada, foi inaugurada no passado sábado dia 5 de março, no Museu da Cidade uma exposição de fotografia de Laura Moura sob o título “Do Avesso – Almada Desconstruída”.

Na apresentação da exposição a artista que, é nem mais que a filha dos meus cunhados Carminda e Artur, escreveu “Do Avesso” é a partilha de um ponto de vista incomum sobre o concelho de Almada. Revelando interioridades que o abandono pôs a descoberto. Lugares que se encontram em mutação por ação das intempéries e das pessoas que os vivem, das pessoas que passam, das que os rejeitam, das que os destroem, das que os ocupam. Registam-se as marcas do tempo, como as rugas na pele e os cabelos brancos.”

A abertura da exposição contou com a presença do vereador da cultura e educação da Câmara Municipal de Almada, e vai estar patente ao público, até ao dia 31 de março. Lá poderão observar infra estruturas que no passado, foram muito importantes para o concelho de Almada, tanto do ponto de vista económico como social, mas que estão hoje em completo de abandono e destruição, daí o título “Do Avesso – Almada Desconstruída”.

Os parabéns à Filipa por mais este ato criativo, ficando à espera de outras iniciativas, porquanto, ideias e talento não lhe faltam. O que vai faltando são os apoios para o seu financiamento. Nesta circunstância valeu a Câmara Municipal de Almada, sempre disponível para apoiar os jovens artistas do concelho, como é o caso da Filipa que fez do concelho de Almada a sua residência.    

publicado por Nuno Santos às 00:09

Março 04 2016

SportingBenfica.jpg

Amanhã é dia de dérbi e por coincidência, faz trinta e oito anos que neste dia 5 de março, também houve um dérbi em Alvalade, pese embora fosse para a taça. O Sporting ganhou esse jogo por 3-1, tendo marcado pelo Sporting, Manuel Fernandes (2) e Salif Keita e pelo Benfica, Humberto Coelho.

Entre os mais de sessenta mil espetadores a assistir a esse jogo, encontrava-se comigo o nosso conterrâneo Filipe Assunção, também conhecido por Chalipa, porque a sua irmã Júlia em miúda pronunciava muito mal as palavras e em vez de lhe chamar Filipe, chamava-lhe Chalipa.

O Filipe era um fervoroso adepto sportinguista e antes de ter emigrado a salto para França, sendo um dos primeiros a desbravar esse caminho, só conseguido à segunda vez, porque na primeira tentativa, o grupo onde ia inserido, fora intercetado e preso no País Basco, já bem perto da fronteira com a França.

Bem antes da sua ida para França aos domingos à tarde, o Filipe não perdia um relato do seu Sporting fosse na taberna do Zé Merceana, ou em casa do senhor Eurico, onde o seu genro António também ele adepto sportinguista, colocava o rádio numa mesa da varanda com o volume quase no máximo, para gáudio dos entusiastas da bola.

Entre todos os ouvintes, o Filipe era o maior entusiasta, e apesar do volume alto da telefonia, colava o ouvido ao aparelho, como se quisesse entrar lá dentro e marcar ele próprio o golo da vitória do seu Sporting.

Nesse longínquo dia de 5 de março de 1978, choveu a bom chover, mas como é costume dizer-se, jogo molhado jogo abençoado, também a previsão dos serviços de meteorologia para amanhã é de aguaceiros, por isso espero que o Sporting amanhã repita o êxito de há trinta e oito anos, pois estou seguro de que o meu amigo Filipe, lá onde ele estiver, não deixará de vibrar com a vitória do nosso clube.

publicado por Nuno Santos às 17:31

Março 01 2016

1024px-SantCompostela25.jpg

Confessionários da Catedral de Santiago

 

A desobriga pascal também conhecida por confissões, consiste num preceito da igreja Católica, no qual os católicos praticantes se confessam e pedem a contrição dos seus pecados. Este preceito está inclusive consagrado nos Mandamentos da Santa Madre Igreja, onde no segundo mandamento se pode ler: “Confessar-se ao menos uma vez por ano”.

Esta prática ainda persiste em quase todas as paróquias católicas, só que atualmente são cada vez menos os crentes que, fazem a sua desobriga. Recordo-me ainda do tempo de menino e moço, quando eu também fazia a desobriga, mais por obrigação imposta pela minha mãe, do que por devoção, confesso-o.

Tratava-se de um dia especial desde logo, porque ocorria durante as férias escolares da Páscoa, e embora se realizasse num dia de semana, era como se fosse dia de feriado na aldeia. Vestia-se o fato domingueiro e todos confluíamos para as imediações da igreja, aguardando a vez de nos confessarmos.

Os padres confessores vinham das paróquias vizinhas, situação que só acontecia nesse dia, ou quando havia um funeral de alguém com posses, cujas exéquias fúnebres tinham missa e ofício de almas. As posses da família desse defunto mediam-se pelo número de padres presentes no ofício.

 

Embora o nosso padre fosse um dos confessores, a maioria dos fiéis vá lá saber-se porquê, preferia confessar-se aos padres que vinham de fora. Porque a nossa igreja só tinha dois confessionários, a maioria dos crentes fazia-o cara a cara com o padre, isto é, o padre sentava-se numa cadeira e o crente ajoelhava-se perante ele.

Ora, foi por isso que a confissão do Luís Martinho, foi ouvida pela Idalina, porquanto estava próxima mas também, porque a Idalina tinha o defeito de ser uma cusca.

O Luís era um pouco fraco de ouvido, por causa de uma otite mal curada na infância, e como todos os surdos falava um pouco alto. Quando chegou a sua vez, ajoelhou-se perante o padre e depois de receber a sua bênção e de fazer o sinal da cruz, o padre perguntou-lhe.

- Então meu filho, quais são os teu pecados?

- Oh senhor padre, eu falo mal à minha avó e falo mal à burra.

- E que mais pecados tens?

E o Luís repetia – Eu falo mal à minha avó e falo mal à burra.

Então o padre disse-lhe.

- Pronto meu filho podes-te ir embora. Senão fosse a burra e a tua avó, tu não tinhas pecados.

publicado por Nuno Santos às 18:54

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Março 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

13
14
16
17

25
26

27
30


links
pesquisar
 
Visitantes
subscrever feeds
blogs SAPO