Outeiro Secano em Lisboa

Janeiro 07 2015

corrupção.jpg

                                                     (Foto do jornal  Público quando do processo Face Oculta)  

 

 

Esta semana foi anunciado pela Porto Editora, de que a palavra do ano de 2014, fora a Corrupção. Esta escolha não nos dá qualquer orgulho, antes pelo contrário, porquanto, o significado desta palavra quer dizer que, se beneficia alguém numa negociata, em prejuízo de outrem.

O fenómeno da corrupção sempre existiu, em especial nos países mais subdesenvolvidos. Na Europa e durante muitos anos, a corrupção esteve muito associada à Itália, por causa das redes mafiosas que minavam sobretudo o poder autárquico do sul do país, e todos nos recordamos de séries televisivas como o Polvo, onde este fenómeno era retratado.

Infelizmente este fenómeno tem-se alastrado a outros países do sul da Europa, nomeadamente a França, a Espanha e Portugal, onde recorrentemente aparecem nos meios de comunicação casos de corrupção, envolvendo personalidades ligadas à alta finança, economia e à política.

Só que enquanto os governos nesses países, têm procurado combater esse flagelo, em Portugal assobia-se para o lado e as medidas apresentadas contra a corrupção, ou contra o enriquecimento ilícito, nem sequer têm cabimento na assembleia da república, vide as propostas apresentadas pelo ex-deputado João Cravinho, as quais, nem o próprio partido o PS as aceitou.

Enquanto continuar este estado de coisas, tem de ser o tribunal a fazer a prova de que houve crime, o que não é fácil, pois os meios de investigação de que dispõe também são precários. Deste modo vamos assistindo aos sucessivos arquivamentos de processos por falta de provas, como aconteceu recentemente com o caso dos submarinos, pese embora neste caso os corruptores na Alemanha tivessem sido condenados, em Portugal os corrompidos ficaram impunes.

 

 

publicado por Nuno Santos às 07:56

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Janeiro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
14
15

18
20
21
22
23
24

26
27
28
29
31


links
pesquisar
 
Visitantes
subscrever feeds
blogs SAPO