Outeiro Secano em Lisboa

Julho 29 2014
 
Episódio III

No início dos anos noventa a Nucase confinava-se apenas ao escritório da Parede e por isso, havia um maior espírito de união entre os seus funcionários, sendo que alguns residiam na área de Lisboa, por isso tinham que diariamente apanhar o comboio na Parede até ao Cais do Sodré. Faziam parte desse grupo: Nuno Santos, Virgílio Alexandre, António Almeida, Vítor Sobreira, Valter Ferreira, Tó Zé Morais e o Jorge Avito.

Às sextas-feiras era costume este grupo retardar o regresso a casa em momentos de  tertúlia que depois das dezoito horas  começava logo no Café Delícia, mesmo ao lado do escritório, parando depois noutros bares até à estação.

Até o Almeida que apesar de ser abstémio por causa dos seus problemas de estômago acompanhava o grupo, que tinha como última paragem o Táglia, um restaurante bar nosso cliente, situado mesmo de fronte da estação, e donde se viam passar os comboios.

Cada um pagava uma rodada, umas para o convívio, outras para a sossega, e outras para a abaladiça. E enquanto nós bebíamos, o Almeida ia vendo passar os comboios e dizia:

- O das 20:30 já foi; agora só às 20;55.

E as rodadas seguiam-se e lá se ouvia o Almeida:

- O das 20:55 já foi; agora só o das 21:20.

Quando chegávamos a casa, a vontade de jantar era nenhuma, mas a desculpa era fácil. O trabalho obrigara-nos a sair mais tarde. Como nessa época ainda não havia telemóveis, o controlo era bem menor do que agora. Bons tempos e boa camaradagem.

publicado por Nuno Santos às 07:24

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Julho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10

14


28


links
pesquisar
 
Visitantes
subscrever feeds
blogs SAPO