Outeiro Secano em Lisboa

Janeiro 16 2015

Tap.jpg

José Mourinho.jpg

 

As notícias da semana que hoje termina e no tocante ao nosso país, foram sobretudo dominadas por dois temas. A primeira pelo seu interesse relevante na vida política e económica, foi a privatização da TAP. A segunda mais da área social, foi a celebração do centenário da Federação Portuguesa de Futebol, com as respetivas escolhas das figuras do século, em matéria futebolística.

Quanto à privatização da TAP, o governo pese embora estejamos em ano de eleições, e a poucos meses de terminar o seu mandato, continua empenhadíssimo na sua privatização, contra tudo e contra todos, em vez de procurar um amplo consenso com as outras forças partidárias.

Ontem ficamos a saber que, terá obtido um acordo para a elaboração do caderno de encargos a apresentar aos potenciais compradores, com nove dos doze sindicatos da empresa, ficando de fora apenas três sindicatos. Só que estes três sindicatos, representam cerca de sessenta por cento dos trabalhadores, logo, não está afastada o foco de perturbação laboral, caso o processo avance.

É um facto que as regras da União Europeia são claras, quanto à participação do Estado nas empresas, mas precisamente por isso, não seria melhor procurar uma posição concertada, a fim de se evitarem não só as perturbações na empresa, como eventualmente até a sua insolvência?

A acontecer essa insolvência, já não será a primeira, quem não se recorda da Swiss Air, a companhia de bandeira suíça que faliu, ainda que não estivesse sujeita às regras da União Europeia, por não integrar esta comunidade.

Haja bom senso e concertação para que não aconteça com a TAP, o mesmo que nas outras empresas de referência nacional, as quais têm fenecido, sem que se tenha feito nada,senão depois a sua lamentação.

A segunda referência, a escolha das figuras futebolísticas do século, apesar do processo de escolha ter sido por voto internauta, um processo sempre falível, porquanto, permite que se vote as vezes que quiser na mesma personalidade, confesso que não votei, mas acho que o resultado configura alguma justiça, consagrando as figuras com maior projeção mundial, Cristiano Ronaldo; Eusébio, mas também José Mourinho.

Quanto ao reconhecimento do Cristiano Ronaldo, é lamentável a posição dos responsáveis dos organismos internacionais, reguladores deste fenómeno, a UEFA e a FIFA, assim como dos povos do norte da Europa, sempre críticos não tanto ao seu valor mas da sua personalidade, acho eu que por ser português, pois pede meças a todos os futebolistas, tanto na vertente desportiva como humana.

Basta fazer a comparação com o David Beckman, um futebolista também galardoado pela FIFA. Alguém conhece a sua família de David Beckman? Também veio de uma família humilde, só que nunca teve a coragem de a assumir, como o faz orgulhosamente o Cristiano Ronaldo, actual detentor de todos os recordes, sendo para mim, o melhor jogador do século em Portugal e actualmente o melhor do mundo.

 

publicado por Nuno Santos às 08:49

olá nuno
comecemos pelos cem da fpf eu não concordo com a votação do f. couto acho que houve gente muito melhor ali a trás
quanto cr7 não é só melhor no campo como também o de melhor carater sem duvida
quanto fato de ser português na melhor que uma entrevista do andré vilas boas na primeira passagem por inglaterra
onde ele a determinada altura comente que o portugues não pode ser bom pra ser reconhecido mas muito muito bom e isso n´s somos e temos provas por esse mundo fora apartir daí esse cidadão luso pra mim é do melhor que há como mourinho e tantos outros ainda agora no dacar que maravilha e como alguém disse somos um país de 10 milhões mas temos matéria prima em quantidade que não se acha em países muito mais populosos e se a querem têm que pagar e muito bem paga está dito
quanto à privatização da tap sou totalmente a favor se as coisas não têm corrido bem nas privatizações feitas a culpa é da incompetencia de quem faz os programas
neste país voei pelas cruzeiro do sul e varig todo mundo sabe o que aconteceu trnsbasil que era privda também e vasp estatal todas foram embora embora a varig esteja a voar só com o nome e ultima que voei foi a gol
mas ia para aí só ia pela tap e olha na decada de o80 era um falta de educação porte dessas hospedeiras velhas e mal encaradas confesso que neste século estão bem melhores um pessoal mais novo e mais atencioso
os governos não precisam de empresas precisam de impostos e aí aplica-los bem
como sempre é a minha opinião abraço

vasco sobreira garcia a 18 de Janeiro de 2015 às 12:42

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Janeiro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
14
15

18
20
21
22
23
24

26
27
28
29
31


links
pesquisar
 
Visitantes
subscrever feeds
blogs SAPO