Outeiro Secano em Lisboa

Setembro 15 2014

 

Hoje quando liguei o computador, já tinha várias felicitações pelo meu falso aniversário, desde logo do Skype do Facebook, do Banco, mas também de alguns amigos mais distraídos, e durante o dia por certo irei receber ainda mais, em especial de entidades onde estou registado, como do Sporting, da Galp  e muitas outras. Só que ninguém nasce duas vezes, e os meus amigos mais próximos sabem que eu nasci às 14 horas do dia 15 de abril de 1955, porém um descuido do meu avô Eurico, que até trabalhava no mesmo edifício, onde funcionava o registo civil, apenas me registou a 15 de setembro de 1955.

Felizmente que o facto não me fez atrasar o meu ingresso na escola primária, porque graças ao meu amigo Vasco sabendo que o Prof. Amílcar tinha ainda duas vagas para a primeira classe, tratou de me inscrever, tendo essas duas vagas sido preenchidas, por mim e pelo Zé António Chaves, quando os restantes nascidos em 1955, apenas entraram na escola no ano seguinte.

A desvantagem maior é em termos de reforma, porque assim estou obrigado a trabalhar mais cinco meses, pese embora já tenha trabalhado durante 41 anos, embora esteja a congeminar uma forma de o fazer antes, porquanto, acho que a minha contribuição para o sistema de pensões, já foi o suficiente.

Hoje é também o dia do meu regresso ao trabalho, após mais um curto período de férias em Chaves, embora o regresso à capital e às rotinas habituais, já tenha ocorrido no sábado. Assim e poucas horas após a chegada a Lisboa, lá fui a Alvalade, infelizmente o meu apoio foi insuficiente e o Sporting, empatou a uma bola com o Belenenses.

Ontem fomos ao cinema ver os Maias. Paradoxalmente e embora tenha quase toda a sua obra, sendo que dos Mais, até tenho dois exemplares, e uma edição especial, editada este ano pelo Expresso, nunca li os Maias, embora conheça a história.

Quanto ao filme, gostei da realização e da representação, tenho pena que as filmagens não tenham sido gravadas no exterior, pois presumo que não haveria orçamento para isso, razão pela qual foi filmado em estúdio e com os cenários do Chiado e do Douro, pintados em tela.

Quanto aos parabéns, recebo-os com prazer, mas claro que só se nasce uma vez, e essa aconteceu em 15 de abril de 1955.

publicado por Nuno Santos às 07:54

Amigo Nuno, como sabes, sou bastante mais novo do que tu, exactamente quatro dias, o que faz toda a diferença, e nunca achei muita piada a essa tua mania de aproveitares as sobras dos foguetes da Srª da Azinheira para festejares o teu suposto aniversário com pompa e circunstância. É por essas e por outras que o teu clube não ganha nem aos velhos do Restelo... Provavelmente comprou jogadores cujos avôs também se distraíram nas datas de registo... à parte a paródia, é sempre tempo de celebrar a vida e de abraçarmos os amigos.
Espero que o 'desentupimento' desta vez tenha sucesso.
Um grande abraço
hpombo a 15 de Setembro de 2014 às 12:38

bom para mim continua o 15 de abril
mas vou-te contar uma história que é verdade
quando o professor amilcar manda dar a lição para a primeira classe os dois melhores alunos eram o zé antónio e o nuno
quando havia alguma pergunta que o nuno não sabia e o zé antónio sabia eu ficava muito irritado pois a minha ligação era muito maior com o nuno e eu era muito parcial desculpa zé antónio mas é verdade
bem nuno apesar das cores politicas e clubisticas estas nem tanto serem opostas há muito mais o que nos une que aquilo que nos separa asim diz o rui veloso abraço
vasco sobreira garcia a 20 de Setembro de 2014 às 20:35

Obrigado amigo,
A nossa amizade é recíproca e para a vida. Tudo de bom para ti e toda a família.
Um abraço,
Nuno
Nuno Santos a 20 de Setembro de 2014 às 20:39

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Setembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14




links
pesquisar
 
Visitantes
blogs SAPO