Outeiro Secano em Lisboa

Abril 27 2014

 

Só hoje dia 27 de Abril é que, Guilherme Alexandre o rei da Holanda, celebra os seus quarenta e sete anos mas, contrariando a nossa crença de que, dá azar comemorar os anos de véspera, por razões meramente estratégicos, ou seja a ressaca do dia seguinte, a festa foi realizada ontem sábado para os holandeses poderem ressacar no domingo.

A bem dizer, a festa começou logo na sexta-feira à noite, porque é costume comemorar-se a noite e o dia do rei. Assim na sexta-feira após a saída dos empregos, os holandeses em especial os mais jovens, concentraram-se junto dos bares nos bairros mais tradicionais, onde há sempre muita música e sobretudo muita cerveja, a sua bebida preferencial.

Apesar dos supermercados estarem proibidos de vender mais do que uma cerveja por pessoa, é comum verem-se jovens, rapazes e raparigas com paletes de cerveja debaixo do braço.

O dia do rei tem dois programas distintos, o programa oficial e o popular. O primeiro conta com a presença da família real. Todos os anos é escolhida uma localidade, onde toda a família real convive com essas populacões que se esmeram nessa recepção, encenando representações e tradicões do passado e do presente,  nas quais alguns membros da família real colaboram.

Este ano a localidade escolhida foi a de Amstelveen, que em termos de proximidade para Amesterdão, está como Odivelas ou a Amadora para Lisboa.

Mas o ponto alto da festa e que faz com que neste dia Amesterdão quase duplique a sua populacão é feito pelo povo nas ruas.

Esta festa comemora-se um pouco por todo o país, mas tem uma maior incidência em Amesterdão, onde os passeios se  transformam em montras, mais parecendo uma gigante feira da ladra. Podem-se aqui encontrar os mais variados produtos usados, mas em bom estado de uso, tudo acompanhado com muita diversão e muita bebida.

Seguindo o ditado de que, em Roma sê romano, também nós comemoramos, tanto a noite como o dia do rei. Na noite de sexta-feira até choramos, não pela emoção da festa, mas por causa de uma sopa coreana que, embora muito boa, tinha entre os muitos outros ingredientes, imensas rodelas de malagueta. Mas custou apenas o primeiro impacto, porque depois a refeição foi super agradável, não só pela companhia, como pelo experimentalismo de conhecer outras gastronomias.

No sábado andamos pelos locais da festa, acabando no clube dos Lusitanos, um cantinho de Portugal na cidade de Amesterdão, fundado em 1968 por emigrantes, muitos deles fugidos da guerra colonial. É um local bastante popular e ontem estavam lá dezenas de portugueses de várias idades. Convivendo numa espécie de arraial popular, onde se servia frango assado, sardinhas, bifanas, vinho português e cerveja Sagres.

Esta foi a segunda vez que estive no Lusitanos, a primeira fora para assistir pela televisão à semi-final da Liga Europa, entre o Sporting-Atlético de Bilbau, de má memória para mim, porque perdemos após prolongamento.

Estes dez dias de férias que hoje terminam, tiveram um sabor redobrado, porque se o acto de viajar é já por si uma coisa boa, estar junto de quem se gosta, como é o caso dos nossos filhos, torna isso muito mais agradável.

Paradoxalmente nestes dez dias pelo norte da Europa, tivemos um tempo espectacular, e só hoje é que as previsões apontam para chuva. Ao que parece  em Portugal o tempo tem estado desagradável, mas com previsões de melhoria a partir de hoje, fazendo com que nos sintamos, os mensageiros do bom tempo.          

 

publicado por Nuno Santos às 11:02

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Abril 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

14
16
19

20
21
22
23
26

28
29


links
pesquisar
 
Visitantes
blogs SAPO