Outeiro Secano em Lisboa

Janeiro 19 2014

Amanhã dia 20 de Janeiro é o dia de S. Sebastião, um dos santos que senão é o mais festejado da igreja católica, é pelo menos o seu maior ícone, tanto em imagens como em pinturas, representando um jovem esbelto e desnudado, com o corpo cravejado de setas, quase rivalizando com as imagens de Cristo.

Há uma série de contradições sobre a morte de S. Sebastião, o qual terá sido mandado matar duas vezes, pelo imperador Diocleciano, porque sendo o capitão da guarda pretoriana, era segundo rezam os escritos, muito brando com os cristãos, quando condenados pelos romanos, por causa do seu credo religioso.

Ora acontece que segundo a história, a data dessa perseguição aos cristãos, só terá sido decretada anos depois da morte de Sebastião, enfim são as contradições da história.

O certo é que o dia 20 de Janeiro é consagrado ao santo, e muitas são as terras que o veneram e lhe reconhecem as benesses. Aí bem perto da nossa terra festejam-no na Torre de Ervededo, até lhe chamávamos a festa dos chouriços, porque era neste altura que eles se comiam. Ai que saudades eu tenho de um bom chouriço de sangue e cabaça.

Mas onde o S. Sebastião ganhou uma maior fama e tradição, foi em Couto Dornelas, no concelho de Boticas. E de tal monta que, se tornou num local de romaria, não só das populações locais, como de forasteiros que, fazem excursões para verem in loco essa tradição, a qual passa pela construção de uma mesa comunitária que, alimenta de carne de porco pão e arroz, a toda a gente que os visita.

Também em Couto Dornelas, existem duas versões para a a comemoração dessa festa. A primeira e mais antiga deve-se a uma promessa popular, para afastar a fome e a peste que assolava a região.

A segunda fora para afastar os franceses quando na segunda invasão, porque depois de tomarem Chaves, seguiram para Braga. Por certo que a estrada para Braga na época, passaria por Boticas, porque se o traçado fosse o actual, o franceses não tinham necessidade de fazer esse desvio.

O certo é que graças às preces ao Santo, os franceses não importunaram as mulheres e raparigas do Couto, porque se diz que caiu um tal nevão sobre a aldeia, ficando esta intransponível, impedindo os soldados franceses de invadirem a aldeia.

O ano passado fomos comer um cozido a Alturas do Barroso, ali bem perto do Couto Dornelas, e enquanto estivemos no restaurante, caiu um forte nevão, cingindo também apenas à aldeia de Alturas.

Embora estivesse perto, nunca ao S. Sebastião a Couto Dornelas. Oxalá mantenham a tradição por muitos mais anos, para quando estiver reformado, eu possa também visitar in loco, essa tradição. 

 

 

publicado por Nuno Santos às 11:39

Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Janeiro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
14
15
16
18

20
21
23
24
25

26
28
30


links
pesquisar
 
Visitantes
blogs SAPO