Outeiro Secano em Lisboa

Janeiro 19 2014

Amanhã dia 20 de Janeiro é o dia de S. Sebastião, um dos santos que senão é o mais festejado da igreja católica, é pelo menos o seu maior ícone, tanto em imagens como em pinturas, representando um jovem esbelto e desnudado, com o corpo cravejado de setas, quase rivalizando com as imagens de Cristo.

Há uma série de contradições sobre a morte de S. Sebastião, o qual terá sido mandado matar duas vezes, pelo imperador Diocleciano, porque sendo o capitão da guarda pretoriana, era segundo rezam os escritos, muito brando com os cristãos, quando condenados pelos romanos, por causa do seu credo religioso.

Ora acontece que segundo a história, a data dessa perseguição aos cristãos, só terá sido decretada anos depois da morte de Sebastião, enfim são as contradições da história.

O certo é que o dia 20 de Janeiro é consagrado ao santo, e muitas são as terras que o veneram e lhe reconhecem as benesses. Aí bem perto da nossa terra festejam-no na Torre de Ervededo, até lhe chamávamos a festa dos chouriços, porque era neste altura que eles se comiam. Ai que saudades eu tenho de um bom chouriço de sangue e cabaça.

Mas onde o S. Sebastião ganhou uma maior fama e tradição, foi em Couto Dornelas, no concelho de Boticas. E de tal monta que, se tornou num local de romaria, não só das populações locais, como de forasteiros que, fazem excursões para verem in loco essa tradição, a qual passa pela construção de uma mesa comunitária que, alimenta de carne de porco pão e arroz, a toda a gente que os visita.

Também em Couto Dornelas, existem duas versões para a a comemoração dessa festa. A primeira e mais antiga deve-se a uma promessa popular, para afastar a fome e a peste que assolava a região.

A segunda fora para afastar os franceses quando na segunda invasão, porque depois de tomarem Chaves, seguiram para Braga. Por certo que a estrada para Braga na época, passaria por Boticas, porque se o traçado fosse o actual, o franceses não tinham necessidade de fazer esse desvio.

O certo é que graças às preces ao Santo, os franceses não importunaram as mulheres e raparigas do Couto, porque se diz que caiu um tal nevão sobre a aldeia, ficando esta intransponível, impedindo os soldados franceses de invadirem a aldeia.

O ano passado fomos comer um cozido a Alturas do Barroso, ali bem perto do Couto Dornelas, e enquanto estivemos no restaurante, caiu um forte nevão, cingindo também apenas à aldeia de Alturas.

Embora estivesse perto, nunca ao S. Sebastião a Couto Dornelas. Oxalá mantenham a tradição por muitos mais anos, para quando estiver reformado, eu possa também visitar in loco, essa tradição. 

 

 

publicado por Nuno Santos às 11:39

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



Um outeiro secano residente em Lisboa, sempre atento às realidades da sua terra.
mais sobre mim
Janeiro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
14
15
16
18

20
21
23
24
25

26
28
30


links
pesquisar
 
Visitantes
subscrever feeds
blogs SAPO